quinta-feira, 28 novembro, 2013
Últimas Publicações
Capa » Glee » Glee | Review – 5×06: Movin’ Out
Glee | Review – 5×06: Movin’ Out

Glee | Review – 5×06: Movin’ Out

Mais uma semana, mais um tributo, e mais um episódio divertido de Glee.

Movin’ Out” pode ter começado um pouco lento, e não ter passado aquela energia contagiante logo de cara, mas, aos poucos, o episódio foi mostrando qual era a real mensagem que deveria ser transmitida e, é claro, acelerou bem o ritmo deixando tudo bem mais dinâmico do que no começo.

Sue trouxe para o McKinley uma feira de profissão, onde os alunos poderiam começar a analisar as suas ambições sobre qual carreira seguiriam, e em quais faculdade fariam as suas inscrições. É claro que ela não poderia perder a oportunidade de trollar o Glee Club e, por isso, não trouxe nenhum estande destinado às artes, pois ela não acredita no sucesso profissional das pessoas que se arriscam neste caminho. #WillBoladão.

Entretanto, o episódio foi mais do que essa feira, foi mais do que a rixa Will/Syvelster, foi até mais do que o próprio Glee Club, que ficou um tanto ofuscado desta vez. As relações entre os personagens, sejam elas de amizade, ou namoro, foram o marco mais relevante de todo o episódio, pois mostrou que um está disposto a ajudar o outro quando for preciso, seja para aconselhar, para enfrentar desafios juntos, ou simplesmente decidir qual caminho seguir.

Foi muito bacana da parte do Artie lutar pela Becky, e fazê-la enfrentar o medo de ir para a faculdade. Ele não teve apenas que convencer little bitch de que ela era capaz, mas também teve que bater de frente com a Sue que, por proteção e carinho, repetia que a Becky “ainda não estava pronta”. Mas uma coisa que Artie e Sue bem sabem é que, àquela garotinha é forte e determinada, o medo de sofrer bullying não a impediriam de seguir seu sonho. Acredito que a insegurança da Sue, era de não encontrar um lugar com uma boa estrutura para fornecer tanto ensino, como segurança, mas Artie deu um jeitinho nisso.

Agora Becky poderá ir para a faculdade e ser a nova rainha do campus, pois o sucesso com os rapazes foi imediato.

Quem também resolveu dar um ombro amigo, e mostrar um caminho para que a Marley possa seguir, foi o Ryder. O garoto aproveitou-se do distanciamento entre Marley e Jake para reavivar aquele sentimento que ficou trancado em seu peito. Não estarei mentindo quando digo que prefiro a Marley com o Ryder, mas achei muito precipitado da parte dele tentar dar uma investida dessas. Espero que ele conseguia mostrar para a outra, as opções que ela tem e que, mesmo insegura, ele estará por ela e não cometerá os mesmos erros que o Jake.

A cada semana, o núcleo de New York prova, para mim, que é a melhor parte do episódio, principalmente quando ganha algumas “possíveis” adições. Nesse clima de ‘descubra a sua carreira’, Sam e Blaine vão até NY para dar um pontapé inicial nesse sonho. Blaine fará a sua tão esperada audição para a NYADA, mas as coisas não permaneceram tão claras, pois outras ambições consumiram a cabeça dele, o que é totalmente normal.

Todos nós ficamos indecisos sobre qual faculdade escolher, e sobre qual profissão seguir, Blaine não é o único. Entretanto, antes de pensar em desistir da audição, ele escuta o conselho do seu noivo e decide arriscar, e se não desse certo, ele poderia seguir a carreira na medicina. Mesmo que não tenhamos assistido a audição, sabemos que ele arrasou. Agora é só esperar o resultado.

Glee - 5x06

Sam, por outro lado, não foi em busca de uma faculdade, ele foi à procura da fama. Todos conhecemos a dureza que o trouty mouth enfrenta na escola. Ele não é o melhor aluno, mas vem se esforçando, entretanto, o futuro acadêmico não está em seus planos, principalmente depois de uma desastrosa entrevista na faculdade. Então ele decidiu, com uma ajuda da Rachel, seguir a carreira de modelo fotográfico, o que pareceu ser uma excelente ideia até ele dar de cara com Bichette (Tyra Banks), a nada sutil, dona da agencia de modelos.

Estou torcendo para que essa empreitada do Sam dê certo, principalmente agora que ele e Blaine poderão ficar no ap dos colegas. Além do mais, o episódio fez questão de atiçar o meu “mode shippação”, ao jogar um baita clima entre Sam e Rachel. Por esse motivo, quero Sam Evans em New York pra ontem!!! É um sonho imaginar os meus dois personagens favoritos juntos. E antes que os fãs mais xiitas comecem a se rebelar, eu preciso dizer: “O Finn foi o grande amor da Rachel, mas ele está morto, a vida dela continua e a mesma precisa seguir em frente. Melhor ela se relacionar com o conhecido, doce, charmoso e educado, do que se envolver com um qualquer, tipo Brody”.

O tributo desta semana foi para ninguém mais, ninguém menos que Billy Joel, um grande cantor e compositor americano. Suas músicas são muito ricas e sempre carregam uma mensagem muito bonita, não importa as circunstancias. As musicas escolhidas para este episódio foram perfeitas, pois todas elas estavam aonde deveriam estar nas cenas.

Vamos dar uma olhada nas performances?!

Movin’ Out – Blam Song! Só isso basta. Adoro as performance desses dois, pois sempre são bem divertidas, assim como a relação deles. Gostei bastante dessa primeira música, e me lembrou bastante a chegada de Santana em New York.

Piano Man – Muitos podem não gostar do Blaine e dizer que ele recebe muitos solos porque come (ou dá) o Ryan Murphy, mas uma coisa não há como negar, ele simplesmente arrasa. Simples, e muito bem cantada, a música e a performance ficaram muito boas. Sempre digo que o Blaine é o melhor vocalista masculino do Glee Club, e depois desta performance, ele provou que estou certo.

My Life – Acho que eu devo ter algum problema contra o Jake, pois a performance não me agradou em nada, nem mesmo os saltos, ou as garotas dançando só de toalha no banheiro. O Jacob sabe cantar e dançar, mas não sei, falta ele colocar alguma coisa no personagem.

Honesty – As músicas, e as performances do Artie são sempre tão carregadas de emoção que é quase impossível não se emocionar com elas. Adorei bastante essa performance por sua simplicidade e pelo o efeito que a mensagem da canção deixou no ar.

Na Innocent Man – Ryder demonstrou toda a sua delicadeza ao cantar essa música para a Marley na tentativa de chama-la para sair. A performance não teve nada relevante, a não ser aqueles passinhos cômicos que ele fez.

Just The Way You Are – A melhor performance do episódio. Adorei tudo nela, desde a cena que a precedeu, até o final com aquela olhada super indiscreta da Santana. Espero ver mais desse grupo em breve, assim como quero ver mais da Pamela Lansbury.

You May Be Right – Uma coisa que venho percebendo nos últimos episódio, e que eu acho muito bom estar acontecendo, é o envolvimento do corpo do McKinley durante as performances. O clima High School Musical explodiu nessa performance, algo que não aconteceu nas outras temporadas. Espero mais performances assim.

Enfim, espero que tenham gostado e que se sintam à vontade para deixar os seus comentários.

Até breve.

Sobre Carlinhos Maldonatto

Tenho 23anos, formado em História e meu Hobby é ler e escrever. Fã de Harry Potter e viciado em séries. Amigos e família são essenciais em minha vida.
  • Ubirajara Júnior Do Carmo

    Como muitos vão dizer o contrário eu já defendo meu ponto de vista: Rachel + Sam – TUDO A VER. Acho que dá certo demais. E só pra defender melhor: ele também é um quarterback, também é meio abobalhado e confuso. Não vou shippar porque não gostei dos nomes, mas o casal eu tô torcendo. E a Sue novamente me fazendo um nó na garganta. Becky como sempre: demais.

    • http://manicomioseries.com.br/ Carlinhos Maldonatto

      Ubirajara, eu curti demais a ideia de unir os dois. Se for pra frente, irei super apoiar.
      As cenas que mostram a Sue se importar sempre me deixam com nó na garganta também.

      Obrigado por comentar.

  • Flávia

    Oi Carlinhos, gostei da review!

    Concordo em gênero, número e grau com você Carlinhos! Amei os plots e os números musicais e fala sério: Billy Joel!!! Confesso que se eu soubesse de um spoiler da Rachel e do Sam teria ficado uma fera, eu teria imaginado que era muito cedo e coisa e tal, mas as cenas foram doces, naturais e até inocentes! Achei fofo e super shippo, rs!!!

    Sobre o Jake, não sei o que está acontecendo porque as performances de “Never Say Never” e “Let me Love You” e até foram interessantes, mas ele vem perdendo a mão desde o meio da 4ª temporada pra cá… Enfim, é uma pena perder dois Puckerman!

    • http://manicomioseries.com.br/ Carlinhos Maldonatto

      Aah, Samchel foi tão fofinho, e realmente, muito inocente… Espero que apostem no casal.
      Acho que o Jake se perdeu a partir do momento em que ele mudou completamente a sua postura de bad boy de uma hora pra outra… Isso era pra ser gradativo.

      Obrigado por comentar.

  • Rai Almeida

    Adorei a Review Carlinhos!

    Por mais que quando soube a primeira mão sobre o episódio, eu não curti, não sabia quem era Billy Joel,nem fikei entusiasmado com o tributo, confesso que me dei mal, gostei das músicas, relembrei algumas que já tinha ouvido, enfim, tudo foi bom.
    As histórias estão bem, pelo menos para mim, resalto que o Casal Jarley mal acabou de se separar e Ryder já está indo com força total em cima da marley xD… ao mesmo tempo que não curto eu curto isso xD e sinceramente sempre torci pelo Ryder desde o inicio … A cena em Glease dos dois foi super legal .
    O núcleo de New York só tem a ganhar, sinceramente se fizesse um spin-off na minha sincera opinião daria super certo . Agora adorei o momento Sanchel … gosto dos dois, mas caso Ryan Murphy quer fazer alguma coisa com os dois tem q ser uma história e tanto, pois envolve muitas questões, mas super curto.
    O núcleo Mckinley ficou apagado na minha opinião em questão ao club do coral, como carlinhos mencionou , e deu mais importância aos personagens em si. Gostei muito tbm

    Em relação as performances todas eu gostei , porém não posso deixar de comentar, como já falei antes, as performances de glee como Blurred Lines e You may be right me lembraram muito High School Music xD uhsuahsuahsuhsuaus agora não posso deixar de falar que todos odeiam o coral mas nessas performances todos estão lá ( vai enteder Titia Murphy), mas enfim, embora muitos acham que glee perdeu o rumo. Eu acho que está bom pode ficar melhor e rumo ao Ep.07 Puppet Master.

    Continue assim Carlinhos amo suas reviews, sempre ancioso para lê-las .No aguardo da próxima.

    • http://manicomioseries.com.br/ Carlinhos Maldonatto

      Rai, muito obrigado por comentar… fico feliz que tenha gostado da review.
      Sempre torci para que o Ryder conseguisse ficar com a Marley, a quimica entre eles é muito melhor. Entretanto, achei que ele foi muito apressado.

      Quanto a Rachel e Sam, não poderia ficar mais feliz, pois são meus personagens favoritos.

      Obrigado e volte sempre.

  • Felipe Belch

    Acabei de assistir o episódio e devo dizer uma coisa: Sanchel pode render muito ainda. Shippo também. Os olhares da Santana e do Kurt enquanto os dois cantavam e dançavam me deram boas gargalhadas de entusiasmo.

    NY e as partes da Becky foram as que mais gostei. Sempre que a Sue demonstra carinho pela Becky fica um nozinho na garganta.

    Achei que Ryder foi um pouquinho com sede demais ao pote. Sempre torci por eles, e confesso que não sou muito fã do Jake não. Apesar disso tudo não duvido nem um pouco que o coração da Marley tá no Jake. Tomara que eu esteja errado e que os próximos episódios mostre a história dos dois se desenvolvendo mais um pouco. Se no fim não ficarem juntos que haja um bom motivo, viu Sr. Ryan?

    • http://manicomioseries.com.br/ Carlinhos Maldonatto

      Felipe, concordo com tudo o que você apontou no seu comentário.
      A Marley ama mesmo o Jake, por isso que ela está tão insegura em relação ao Ryder. Sempre torci para que eles ficassem juntos, pois não gosto do Jake, mas acho que o Ryan ainda irá prolongar isso.

      Muito obrigado por comentar.

  • Naiane Correia

    Concordo com você, a cenas em NY são as melhores partes dos episódios. Rachel e Sam formariam um casal bem fofo. Torcendo e super shippando Samchel!!!
    Voltando a Ohio… nunca fui com a cara do Jake e sempre torci para que a Marley ficasse com o Ryder. As perfomances foram demais, minha preferida foi Just The Way You Are, música linda com os melhores da série ^_^
    You May Be Right também foi legal, adoro as perfomances com o Mr. Schue <3

    • http://manicomioseries.com.br/ Carlinhos Maldonatto

      Naiane, muito obrigado por comentar.
      Samchel foi tão fofo que é quase impossível não gostar.

  • Natalia Assis

    Olha, confesso que tive um certo de receio de chegar aqui para ler a review (como faço a cada episódio) e você criticar a Rachel, ou esse novo “momento” que aconteceu. Porque eu adorei! Amo a Rachel/ Lea e sempre gostei do Sam! Fiquei bem decepcionada quando ele começou a namorar a Britany e ficou meio “burro”, não tinha nada a ver com ele, que é uma muralha por fora, e a perfeição!, e um doce por dentro. Adorei, espero sim que a história se desenvolva, quero muito ver a Rachel feliz.
    P.S. Amo o elenco de NY!