Do Fundo do Baú | Arrested Development – 1×20: Whistler’s Mother

A retratação da dependência materna de uma maneira cruel.

A abordagem diferenciada é o ponto de partida para qualquer trama em Arrested Development. Desde que comecei esse baú tenho afirmado que a série sempre se sobressai exatamente por isso, e em Whistler’s Mother o resultado não é diferente. Quando uma trama, seja o gênero que for, retrata a relação materna, em grande parte das vezes a percepção é positiva, e me refiro à interpretação, que vem por parte do roteiro para com a posição de ser mãe.

Só que quando a bola da vez é Lucille Bluth é impossível caminhar pela estrada da obviedade. A personagem é sem dúvidas a retratação de mãe mais perversa e egocêntrica do universo, e mesmo quando a narrativa dá a entender que estamos diante de relações autênticas e sem interesses, descobrimos que no fundo, havia algo a se ganhar com aquilo.

E muitos podem pensar: mas não é sobre isso que se trata qualquer questão relacionada a sentimentos? A mera troca de afeto, o dar para receber? Não. Se a troca de sentimentos é algo sincero, utilizar do amor para conquistas materiais é tido como errado, e o peso moral faz parte da denúncia de Arrested Development. Notem que a série sempre utiliza de oportunidades para satirizar seus personagens através de ironias, que revelam a hipocrisia dos mesmos.

Wife of Gob: I’m in love with your brother-in-law.
Gob: You’re in love with your own brother, the one in the army.

Não que o roteiro firme uma linha geral entre certo e errado. Essa linha é traçada pelos próprios personagens e suas crenças, e a partir dessas atitudes, que causam contrastes por divergirem do que eles mesmos julgam correto, é possível criar o riso. Lindsay por exemplo, encontra no protesto uma maneira de elevar sua auto-estima, que sempre sofreu com Lucille e seus comentários (e agora encara um marido indiferente). É notável que ela pouco liga para a causa que protesta: existe por trás desse meio uma busca para alcançar um fim, ou seja, um benefício próprio.

E enquanto Michael tenta se manter como aquele que age de maneira correta e integra, todos a sua volta buscam o contrário. Os antagonistas são os próprios membros da família Bluth. Acaba que o desastre eminente, e cômico, acaba sendo o único resultado provável. Contraditório? It’s Arrested Development.

Whistler’s Mother cria um ambiente cínico, onde Michael necessita reconhecer que nem sempre é possível ser independente, mesmo com as nuances de protagonista correto. Ele quem aprende a lição enquanto todos ao seu lado continuam enganando, mentindo, e buscando seus próprios interesses. E por mais fraterno que aparente ser, o auxilio de Lucille para com o filho frisa a deturpação de tal virtude.

“Even the members of Gobias industries agreed on that one.”

Review
Nota do episódio:
20 anos, um grande fã de Community, Arrested Development, Fringe, Lost, Desperate Housewives, Sherlock Holmes e The Good Wife. Ajudo a administrar o MS, além de organizar as colunas Atuações do Mês e Guia Cômico.
  • tom

    Volta a fazer as review de Arrested

  • Th

    Volta a fazer as reviews de Arrested