Compartilhar

“Whether or not you break Roy out of Iron Heights, there is no more Arrow. Ra’s took that from you.”

Em uma palavra: emocionante. Thank God que Arrow está conseguindo se reerguer depois dos muitos episódios fracos que vinha apresentando. Não chegou a ser eletrizante ou de deixar de queixo caído, mas “Broken Arrow” foi um ótimo episódio, algumas coisas poderiam ser melhoradas, mas a história em si estava tão carregada de emoção e de tensão (porque ação não teve tanta ou a que teve não foi importante), que muitos dos pontos fracos podem ser facilmente esquecidos. Gostei, e se continuar assim, Arrow tem todas as chances de fechar bem essa season.

O vilão meta-humano Simmons (sim, meta-humano!) ficou um pouco apagado em relação à história principal. Ultimamente vinha sentindo falta de um vilão da semana em Arrow pra fugir um pouco do drama principal, mas, no episódio em que menos precisava, o pessoal da produção acabou por reintroduzi-los. Óbvio que o vilão foi importante, primeiro pra causar uma complicação para Oliver, que não poderia aparecer lutando contra ele, pois corria o risco de ser preso. Depois para mostrar que Ray Palmer está começando a servir pra alguma coisa. As sequências que envolveram o vilão foram bem boas, vimos até Oliver jogar videogame humano e depois dar uma de coach de Ray. O plot até foi bom, mas acho que focar só na trama principal não seria má ideia nesse episódio.

A caça ao Oliver que Capitão Lance está incessantemente promovendo já está ficando chata. Ninguém mais está suportando essa obsessão. Sim, Oliver é o Arqueiro e ele sabe disso, mas poxa, pára de ficar criando empecilhos pro resto do Team Arrow. Tinha mesmo que tornar público o esconderijo do Arrow? Ele acredita mesmo que foi Oliver quem matou os inocentes e não o fake arrow? Que Ra’s está na cidade ele já sabe, não podia então desconfiar um pouquinho? Digo e repito que a morte de Sara e as omissões de Laurel e de Oliver ainda o deixam possesso, apesar de ele não confirmar. A minha impressão é que Quentin faz isso por pura vingança. Infelizmente acabou regredindo para o personagem chato que era na primeira temporada.

BA-05

Roy na prisão me deixou bem apreensivo. Sofri demais com ele nesse episódio. A decisão pareceu meio precipitada por parte dele e, como muitos personagens falaram, o fato de ele se entregar não mudaria o que já aconteceu no passado. Não mudaria o passado. Mas poderia mudar o futuro, como ficamos sabendo no fim do episódio. As conversas dos personagens com Roy foram todas muito boas, a cena com Thea, apesar de rápida, foi marcante. Não acho que para uma cena ser boa precisa de muito tempo ou muitas falas bonitas e emocionadas, até porque o olhar dos dois já dizia muita coisa.

Os flashbacks não me empolgaram muito. Aliás, nem prestei muita atenção, e acabei não entendendo muita coisa. Então voltando a Starling, senti falta da Laurel nesse episódio. Só apareceu um pouquinho para enfrentar o pai, aliás, vibrei nesse momento, já que Quentin está precisando mesmo de uns puxões de orelha, mas gostaria de mais dela no episódio. Oliver e Thea estavam bem paranóicos por causa da prisão de Roy, mas é compreensível, tendo em vista que não sabiam de nada. Isso serviu para que Felicity tivesse sábias conversas (como sempre) com Ollie e abrisse os olhos dele para que deixasse ser ajudado. Cabeça-dura esse homem! Ainda bem que Felicity puxou à sua mãe quando se trata de abrir os olhos dos que estão ao seu redor.

As brigas na prisão foram eletrizantes. Eu sabia que Roy supostamente morreria, mas não tinha como não ficar roendo as unhas de ansiedade. O moço é um dos meus personagens favoritos na série, e mesmo que ele não tenha morrido, vai fazer muita falta. Ele foi mais do que um suporte pra Oliver nos combates. Será que o Team Arrow vai ser o mesmo sem ele? Acho difícil. O plano lindamente montado por eles nem se fala, incrível! De alguma forma previsível, já que Felicity e Dig estavam muito calmos desde a prisão do Arsenal, mas, independente disso, fui surpreendido pois foi um belo de um plano! Parece que o tempo que ficaram sem Oliver fez muito bem a todos os integrantes desse time.

BA-03

Sem palavras também para a despedida de Roy, fiquei meio depressivo quando acabou o episódio porque não teríamos mais o Arsenal e nem seríamos agraciados com a boa atuação de Colton Haynes. Uma pena que o Roy não conseguiu se despedir de Thea. Agora aquele final, apesar de eu já estar esperando, me deixou zonzo. A sensação de perder um personagem, mesmo que por pouco tempo é um choque. Seria mais dramático se não soubesse que Thea seria ressuscitada no Lazarus Pit no próximo episódio, mas olha, Arrow está se recuperando admiravelmente da queda que sofreu durante essa temporada. Claro que no fim da temporada tudo fica mais intenso, mas mesmo assim, sinto que a série está pelo menos tentando recuperar a sua essência, o que já é muito bom.

Observações Finais:

> Gostei da breve aparição de Cisco! Como sempre causando, ele descobriu que Simmons não estava em Central City na época da explosão do acelerador. Como ele pode ser um meta-humano então? Com certeza deve haver alguma referência ao vilão nos quadrinhos, mas eu não faço ideia de que como isso pode ser possível.

> As caras do Oliver para o Ray foram hilárias! Ninguém aguenta Ray e seu papo científico e careta!

> Cadê a interação de Thea e Felicity? Poxa produção, botem as duas pra conversar!

> Pelo menos Tatsu está de volta nos flashbacks!

Eai galera, o que acharam do episódio? Será que dá pra fechar bem essa season? Não esqueçam de deixar seus comentários. Até a próxima!

Compartilhar
Estudante de Direito, paulistano e louco por séries. O gosto pela leitura e a paixão por TV me trouxeram ao mundo das séries, e dele eu não arredo mais o pé! Eterno fã de How I Met Your Mother, seria talvez a mistura de Marshall Eriksen e Ted Mosby, seguidor da "filosofia" de Barney Stinson em alguns aspectos. Mulher ideal? A mistura de Lily, Robin e Tracy é claro! Aqui no MS vocês podem me encontrar nas reviews de Resurrection, Reckless, Arrow e The Flash. Só um cara correndo atrás do que o faz feliz e mais completo. Lema? “When I get sad, I stop being sad and be awesome instead.” #TrueStory
  • Luiz Fernando

    Roy volta no season finale!

  • Karen Bomfim

    Também acho que arrow vem numa crescente depois de episódios medianos. Estou ansiosa pelo próximo e pela SF, saber qual vai ser a consequência para salvar a Thea. Agora sobre o Roy, vai ser estranho não ter ele no Team.

  • Andréia Viana

    Eu adoro o Ray, foi uma excelente adição a serie, gosto de como ele trouxe novamente a tona o lado leve e bem humorado da Felicity, a química entre eles é muito boa, uma pena ela preferir o banana de pijama do Oliver do que ele, aí terei que aturar a chatice Olicity.
    Não tá dando mais pra aceitar esse jeito do Oliver, com aquela cara de limão azedo a cada fala do Ray, a maneira como ele tratou o Diggle, o jeito sem graça dele na despedida do Roy, tá irritante, ele já conhece o pessoal há um tempão e não muda, sempre mau-humorado, chato.
    Laurel apareceu bem pouquinho, mas adorei ela peitando o pai, se impondo.
    Agora, como foram fazer o Capitão Lance regredir tanto? tava insuportável!
    Ai que tristeza me deu a cena do Roy com Thea, torci tanto pra eles voltarem e quando acontece, dá nisso! E que susto foi essa morte da Thea hein? Caraca, Oliver vai surtar! Mas ainda não consigo entender o porque do Ra’s querer tanto que o Oliver seja seu sucessor.

  • Kelly

    Pra mim o Roy nunca fez muita diferença no team arrow e não vai fazer falta.

  • fabio Rodrigues

    Hey marcelo!
    Fiquei bastante triste com a Saida de Roy, pois achava-o um personagem chave! Sei lá, Colton haynes foi progredindo imenso na sua atuação, estava ficando cada vez melhor, e espero que ele volte depressa!
    Adorei toda a historia a volta do Roy e todo aquele plano fantasitco e por isso mesmo não prestei atençao aos flahsbacks (como nunca presto, porque estes flashbacks da 3ª temporada tão bem zzzzZzz).
    Finalmente Thea vai ser muito mais explorada a partir de agora e estou bem entusiasmado com isso.
    Não prestei muita atençao ao vilão da semana, mas adorei as caras e as frases do Oliver, simplesmente adoro quando ele fica comico e deixa de ter aquela poker face de sempre . Mas agora estou curioso, como assim aquele vilão é um meta-humano?
    E sim, Lance está a ficar um personagem bem chato, como na primeira temporada, credo.

    Abraço Marcelo, otima review!

  • Sara N. Gonçalves

    Achei muito prematura a saída do Roy eu ainda tava esperando uma evolução dele,a morte da Thea totalmente sem emoção ta na cara que vai voltar e o Lance já deu na chatice né