Compartilhar

A deliciosa imprevisibilidade de um primeiro conselho tribal da fusão!

Survivor Worlds Apart deu continuidade a boa temporada que vem nos entregando com mais um excelente episódio. Com a ocorrência da fusão sem nenhum predomínio tão significativo de uma tribo sobre a outra, rachaduras e rancores internos, jogadores dispostos a vencer e ídolo de imunidade dando as caras, as tradicionais questões de em quem confiar (ou que caminho seguir) ganharam tons ainda mais dramáticos e imprevisíveis … para o nosso deleite!

Pré-Fusão

Em Escameca, após um belo de um blindside em Joaquin, Tyler e Rodney não estavam nem um pouco felizes. Mike – que é um dos poucos azuis originais lúcidos e esclarecidos – percebe que um blindside pode ser bastante danoso também para quem o aplicou e imediatamente decide conversar com Rod para uma “contenção de danos”.

Em resumo: Mike diz que todos ficaram receosos que os dois estariam muito próximos e que Joaquin estaria manipulando-o, enquanto Rod (que é altamente manipulável mas subestima a todos) disse que era justamente o contrário (que ele estava usando Joaquin para conseguir informações) e que havia se sentido desrespeito por seus companheiros se unindo por suas costas. Não prevendo uma fusão a seguir, ele diz no confessionário que, bem ou mal, teria que atuar como a “vadia” de Mike para conseguir chegar à fusão.

Em Nagarote, a leitura do Treemail indica explicitamente que a fusão ocorrerá e obviamente todos chegam à conclusão, exceto por Will, que pensa que é um desafio de recompensa – um dos personagens mais burros das últimas temporadas, socorro. Kelly mal recebe a notícia e abre um sorriso de canto a canto. Quando questionada se seguiria com a tribo atual e eliminaria os ex-Blue Collars, ela diz que toparia, mas:

 kelly mentirosinha

MINTA MELHOR AMIGA.

 Fusão

Chegamos à fusão. Sim, com doze participantes. Sim, com apenas dois conselhos tribais após a twist de tribos. Todos muito empolgados com a novidade e o banquete que será servido, mas um detalhe merece mais especial:

 myler

#TEAMMYLER

Tyler e Rodney felizes porque ganharão vida nova, mas a maioria se preocupava verdadeiramente com outro fator (principalmente Dan):

 dancomida

EU QUERO COMIDA!

O primeiro papo sobre jogo é justamente a respeito da eliminação de Joaquin e todos sacaram que o principal motivo havia sido a ligação que ele e Rodney rapidamente desenvolveriam pela forma parecida de encarar a vida. Partimos para um confessionário em que Carolyn demonstra mais uma vez que é uma das melhores jogadoras da edição, dizendo que duplas que aparentam estar muito unidas viram alvo e que ela e Tyler precisarão disfarçar a forte aliança que desenvolveram previamente. Em outras palavras:

 arolyn

Que saudades que eu estava de uma velha safadíssima em Survivor!

Conforme especulávamos, a ligação deles era realmente mais forte do que a edição dos primeiros episódios mostrava (se não fosse ela revelando que possuía o ídolo para ele, jamais saberíamos).

De volta ao acampamento dos antigos Escamecas, a produção aprontou uma SUPER TROLLAGEM e desmontou TUDO, fazendo-os construir novamente do zero. Claro que já foi o suficiente para que Mike fosse um porre com trabalho como sempre. Santa inconveniência!

Em seguida, Mike e Kelly aproveitam a “procura por lenha” para colocarem os pingos nos is e ela – provavelmente com um inexplicável fogo no cu – o elogia, diz que é como se ele fosse da família e que são a dupla mais unida do jogo (provavelmente era verdade). Só que ela (que pensa mentir superbem) na verdade entregou de bandeja para todos que fliparia para o lado azul, pois nem disfarçava. Burra! Jenn e Hali perceberam, mostram que estão em plena sintonia e pensam nas mesmas ideias:

  • - Que Shirin absolutamente jogaria com elas.
  • - Que o ideal agora era planejar uma união de White Collars e No Collars contra os Blue Collars que estavam em maioria.

Joe aparece falando que está grato porque foi poupado da eliminação, mas que estava ainda mais feliz por reencontrar os companheiros vermelhos. Eu só citei esse trecho porque é daí que vem um dos momentos mais hilários do episódio, quando Hali questiona se “Rod é inteligente” e Joe apenas:

 joe

DON’T KILL MY VIBE.

Apenas a melhor reação do episódio

Rod, que parece que não sobrevive sem um bromance, encontra seu novo alvo em: Will. Uma dupla unida por uma característica em comum: a estupidez. Se a preview do episódio indicava que ele estaria sedento por vingança, aqui nós percebemos um Rod vingativo, mas com mais controle e sangue frio. Ele propõe que ele, Will, Carolyn e Kelly votassem inicialmente com os azuis originais e virassem o jogo no F7 (onde seriam maioria). Um bom plano, mas com um erro crasso: contar que o grande fantoche de Mike (Kelly) na temporada jogaria contra ele. Depois de Rod Balboa ter TOMADO NO BRIOCO no episódio passado, 2 horinhas de tribo fundida já foram suficientes para ele sentir-se poderoso e imbatível de novo. É muita imbecilidade!

As minhas esperanças de que Tyler acordaria novamente para o jogo se concretizaram e ele e Carolyn concluem que, embora estejam firmes e sejam fiéis um ao outro, o ideal é que ninguém perceba que estão realmente juntos. O fato é que ambos se encontram em uma boa posição no jogo, sendo requeridos pelos dois outros lados e sendo os votos decisivos (ou não). É algo que me lembrou Denise e Malcolm de Survivor Phillipines.

Depois de um dia inteiro, finalmente eles resolveram pensar em um nome para a tribo e Mike – no auge de sua criatividade e de um patriotismo exacerbado – sugere Merica (sim, America sem o A, apenas porque as cores da bandeira correspondem às das tribos). Ele acha a melhor ideia da VIDA e ganha alguns fãs ainda mais empolgados (como Hali que discursa ensandecida sobre como ama o país). O nome só não é mais criativo que a bandeira:

 merica

EXATAMENTE: a bandeira é apenas o nome da tribo e marcas de mãos.

Nem todos, contudo, ficaram tão excitados com a opção e eu me senti representando por Shirin debochando da inteligência dos seus companheiros e disse estar horrorizada e envergonhada. Adivinhem: boa parte dos americanos achou o nome um lixo, um dos piorezinhos da história. Eu não soube lidar quando ela fez a Diane Lockhart de The Good Wife e ridicularizou Mike Mr. Texas comparando-o a Sarah Palin (uma política republicana de opiniões conversadoríssimas, polêmicas, retrógradas e exageradamente patriotas).

 shirin

BLERGH! (A Shirin DIVA dos primeiros episódios voltou?)

Mike e Rod então conversam e planejam mais uma vez eliminar Joe, se ele não vencesse a prova de imunidade. Mike disse que precisaria contar com o voto de Rod e por isso estaria agradando-o e realizando suas vontades preliminares, como se fosse um “sexo de reconciliação” (um termo que eles usaram, não eu).

Immunity Challenge

A prova de imunidade foi básica, uma das provas mais clássicas: uma prova de resistência, em que o último que permanecesse agarrado a um poste, venceria. Alguns comentários pertinentes:

  • - Depois de um ídolo de imunidade tribal horrível, o colar de imunidade é bem lindo.
  • - Eu tive que tirar um print da tela voando porque uns segundos depois Dan estava fora rasgando a pele.

 imunidade

  • Saudades Parvati brilhando aqui.
  • Eu pensei que a prova fosse acabar logo pelo ritmo que estava indo (os Blue Collars trabalhadores flopando assustadoramente), mas os últimos 3 seguraram por um bom tempo.
  • Uma abelha picou Jenn em suas partes íntimas NO MEIO DA PROVA. E vocês aí reclamando de Murphy por motivos banais.

 jenn

APOSTO QUE ERA UM ZANGÃO – OU UMA ABELHA LÉSBICA.

Os mais resistentes foram Joe, Jenn e Carolyn, mas de repente uma chuva fortíssima caiu e as duas não suportaram por muito mais tempo, porque o poste ficava ainda mais escorregadio e Joe venceu a primeira imunidade individual – NADA MAIS PREVISÍVEL, EDIÇÃO.

Com o “garoto de ouro” Joe imune (obrigado pelo apelido, Mike Mr. Texas), os planos de Mike mudariam. Antes de falarmos a respeito dos novos planos, o amor que eu construía por Mike acaba quando ele me solta um “Quem quiser conversar, vá. Nós somos jogadores e sabemos como funciona!”. Eu ODEIO quem faz coisas parecidas, que chatice.

 mkeq

Agora que você nos autorizou nós vamos conversar sim, rei.

A aliança sólida entre Jenn e Hali virou alvo (e também porque era uma forma de enfraquecer o jogo de Joe) e, entre as duas, Mike diz preferir que Jenn saia primeiro – parte disso é “culpa” de Hali, que, como comentamos, faz um jogo sob radar e se esgueira por trás de sua aliada. Ponto para ela. Mike também diz que Rod está sendo manipulado por Will enquanto pensa estar controlando-o (de novo) e que eles não poderiam enganá-lo de novo, embora ele não confie em Will. A decisão é: os Blue Collars e mais votarão em Jenn, mas dirão para Will que o voto é em Hali. Se Hali receber voto, eles estarão convictos da fidelidade de Will.

É, novamente, uma boa ideia, mas MUITO arriscada. Em primeiro lugar, porque ainda que dê certo, Will pode sentir-se enganado por eles, perder a confiança e mudar de lado outra vez. Em segundo lugar (mas mais importante): em um primeiro conselho da fusão, que você não sabe como as coisas se desenrolarão, desperdiçar um voto de um possível aliado coloca você em um risco ainda maior – principalmente para ele que era visto como o grande mentor dos azuis. Desse modo, até se Will votasse com eles, um deles poderia ser eliminado sem desempate se os outros seis votassem em conjunto. É uma jogada duplamente ousada e que eu só enxergo um ponto positivo: desviar-se de um ídolo caso Will realmente estivesse fiel à sua aliança No Collar original.

Enquanto isso, só estávamos certos de dois grupos:

  • - Os Blue Collars votariam juntos. Rod conteve sua raiva e Sierra nem apareceu. Contariam também com o voto de Will.
  • - Os No Collars restantes votariam juntos e também contariam com o voto de Shirin.

Tyler e Carolyn possuíram, logicamente, o pode de decidir que sairia (ou pelo menos quem seria mais votado). Aí entra o que eu comentei na review passada: que Kelly seria um link importante entre os Blue Collars e os outros. Ela conversou com Carolyn e sugeriu que a dupla Jenn-Hali precisava ser separada.

Do outro lado, o foco foi surpreendentemente Kelly. Eu juro que eu não imaginava que Kelly viraria alvo tão cedo no jogo, principalmente porque sua aliança consiste de 3 homens (dois que são ameaças físicas). A sugestão foi de Shirin, que ainda disse que ainda os Blue Collars se odiassem, eles votariam juntos e, se ganhassem essa votação, provavelmente teriam números para o resto do jogo inteiro. Dois ótimos pontos.

O foco em Kelly também foi um caminho muito mais tortuoso e complicado que se o foco fosse Mike, Dan ou Rod. Ela e Carolyn parecem muito mais próximas que Carolyn e qualquer outro azul e pode ter sido um fator decisivo para a opção tomada por Carolyn (e por conseqüência Tyler, que ainda que tenha sido enganado pelos azuis no último conselho, pode ter sido facilmente convencido por ela – já que fez um jogo de conversar com todo mundo mas não se comprometer a menos que lhe oferecessem algo concreto). Por outro lado, há vantagens na eliminação de Kelly:

  • - Ela é um ponto de união entre os azuis sim. Pode ser um elo importante entre os meninos e Sierra e entre eles e os brancos também. Eliminá-la poderia mais que enfraquecê-los, desestabilizá-los, abrindo novas possibilidades de alianças intertribos.
  • - Ela é completamente fiel a Mike e separar um casal tão unido é sempre positivo.
  • - Ela dificilmente possuiria um ídolo e ninguém desconfiaria que ela receberia votos no primeiro conselho tribal da fusão.

Outro ponto importante é a boa leitura de jogo de Jenn e Hali. As duas perceberam imediatamente que estariam fodidas e que estavam em minoria e Jenn finalmente revela para Hali que possui o ídolo e que deveriam apenas saber em quem eles votariam para que elas se safassem. O melhor foi a explicação sobre como ela encontrou o ídolo que ela deu:

 maravilhosas

Sem paciência para quem está começando, amiga.

Tribal Council

Um conselho sem perguntas interessantes, muito menos respostas. O assunto mais discutido foi a posição mediana que os White Collars ocupariam e algumas posições ficando bem claras:

  • - Will dando a entender claramente que votaria com os Blue Collars.
  • - Shirin dizendo que não se considerava um voto de desempate e praticamente reafirmando sua posição ao lado dos No Collars.
  • - Carolyn intitulando mais um episódio pois RAINHA – ainda que Dan tenha emplacado uma frase de feito com esperanças de nomeá-lo, em vão.

ct

Os votos foram:

  • HALI: 1 voto (Will)
  • JENN: 7 votos (Rodney, Mike, Dan, Sierra, Kelly, Carolyn e Tyler)
  • KELLY: 4 votos (Shirin, Joe, Jenn e Hali)

Todavia, Jenn, depois de pensar um pouco, é maravilhosa e dá uma movimentada geral no CT quando tira o seu ídolo do bolso e diz que vai usá-lo porque definitivamente não quer ser eliminada hoje.

As reações:

 kelly fodeu

O primeiro voto foi de Hali e elas já pensaram que tinham usado o ídolo na pessoa errada (mas era apenas Will sendo enganadíssimo mais uma vez e jogando o voto fora), mas a vibração do trio No Collar + Shirin com os próximos votos foi hilária e a CADA VOTO eu ria junto com esse quarteto lindo. E o final feliz ocorreu com a eliminação da planta Kelly com somente 4 votos.

Sabe o que é ainda mais maravilhoso? É a segunda vez que uma Kelly arrastada, em maioria, é eliminada em um conselho pelo uso de um ídolo – sem que ninguém esperasse que o foco fosse ela.

Aparentemente, temos um 7×4 e nenhum outro ídolo de imunidade para salvar a pátria. Jeff, no entanto, disse que Worlds Apart é uma das melhores temporadas e é recheada de blindsides, portanto eu não acho que a divisão permanecerá como está – se bobear, nem para o próximo episódio. A preview já mostrou Rod planejando a eliminação de Mike que estaria comandando o show e uma paranoia instaurada por ídolos que pode mudar alguns votos.

 elimi

Alguns comentários finais:

  • - Eu acho que Shirin acertou em jogar ao lado dos No Collars no final das contas, é onde ela tinha mais chances de formar uma aliança sólida. Se ela conseguir que quarteto se sobressaia, estará bem. Se não, provavelmente será o último alvo da aliança rival e ainda poderá fazer-se útil para eliminar um grande nome mais tarde, quando um tiver que virar-se contra o outro.
  • - Também acho que Carolyn e Tyler acertaram em jogar com os Blue Collars, embora pareça contraditório, não é. Os azuis possuem muito mais rachaduras internas e são muito mais quebráveis que o trio No Collar (embora eu imagine que as meninas se virem contra Joe), logo, os DOIS JUNTOS, facilmente poderiam infiltrar-se entre eles e arquitetar um blindside posteriormente.
  • - Will sempre votando errado. Eu não entendi ele correr para o lado de Rodney que era a quinta opção na aliança dos Escamecas, em vez de manter-se com seus aliados originais e tentar uma jogada mais para frente. Perdoaria caso ele soubesse que os Blue Collars teriam a maioria dos votos, mas só. Resta saber, após ter sido enganado, como ele reagirá. Acredito que Mike conseguirá controlar os danos, até porque Will é facilmente manipulável, mas torço para que não.

Power Ranking

  1. Hali: eu tenho muita convicção que Hali pode vencer (daí ela vai e sai no próximo episódio), pelo bom jogo que faz. Tranqüilo, sem ficar em evidência, sob o radar. É uma das minhas torcidas.
  2. Jenn: é o que eu sempre disse sobre ela, faz uma leitura do jogo brilhante. É muito difícil enganá-la. Se conseguir persuadir alguém para mudar os votos a seu favor, pode ser uma das finalistas e possíveis vencedoras. Ela brilhou hoje!
  3. Carolyn: ainda é minha favorita (todos perceberam). É um jogo muito consistente do início ao fim, tem uma aliança firme que passa despercebida, um ídolo que ninguém sabe e sempre se posiciona do lado certo da votação. Ainda não é vista como alvo e reina nos confessionários. Eu apostaria meu dinheiro nela para ganhar.
  4. Mike: ele comanda os outros Blue Collars com uma facilidade assustadora, por mais que uma hora ou outra os tenha enganado. Faz uma contenção de danos exemplar e é extremamente manipulador. Logo virará alvo, mas se a saída de Kelly tem algo positivo para ele, é não mais possuir um F2 tão explícito.
  5. Tyler: ainda dividido sobre ele. Não se renega alianças como ele fez hoje, exigindo algo concreto e explanando suas desconfianças para os próprios envolvidos. Sua sorte é que ainda está em uma boa posição e possui uma aliada com Carolyn que confia muito nele, mas eu consigo enxergá-lo como um finalista ao lado dela sim.
  6. Shirin: conquistou a confiança dos No Collars e não será alvo por enquanto. Merece posições por ter ridicularizado o nome da tribo da fusão também. Com foco, pode surpreender.
  7. Sierra: apagadíssima no episódio de hoje. Na verdade, eu não a ouvi no episódio inteirinho. Péssimo sinal, para quem até ontem estava com fogo no cu por vingança, virou gado sob o comando de Mike.
  8. Joe: eu acho que Joe é o maior alvo da temporada e se não ganhar imunidades, logo sairá. Até porque até suas aliadas mostram-se propensas a virar-se contra ele mais cedo ou mais tarde.
  9. Dan: falta de opção. Acha que tem algum poder, mas é mais um fantoche na mão de Mike. Agora subiu uma posição na lista dele após a saída de Kelly. Chances nulas de vencer.
  10. Rodney: outro que se sente a última bolacha do pacote e não é um nada. Ninguém confia, ninguém pretende levá-lo adiante.
  11. Will: vota sem critério. É burro. Faz o pior jogo da temporada. Eu o arrastaria até a final só para sambar na cara dele, porque não vence nenhum dos 10 participantes que restam.

Por hoje é só. Na quarta-feira seguinte voltamos com mais um episódio que não promete TANTO, mas quem sabe não sejamos surpreendidos, não é. Comentem e até mais!

Compartilhar
Gosto de escrever nas horas vagas e assistir séries é meu hobbie predileto, então ser reviewer é o maior dos prazeres. Fã de música e reality show. Vocês vão me encontrar nas reviews de The Voice (Brasil, US, UK e AU), X Factor AU, 2 Broke Girls, Survivor, Chasing Life e na coluna Por Onde Anda, sempre aqui nesse Manicômio !
  • http://manicomioseries.com.br/ Carlinhos Maldonatto

    O mais engraçado foi a cara da Jen e da Hali quando o Idolo foi ativado e o primeiro voto foi na Hali. Foi tipo:

    “que merda eu fiz, mulher?”

    mas depois só alegria.

  • Marcelo Lourenço

    Pedro! Algumas décadas depois, consegui assistir o episódio e ler a review, que por sinal está ótima e hilária!Ri demais com as imagens legendadas!
    Essa temporada está bem boa, Jenn destruindo no CT e mandando a planta da Kelly embora foi maravilhoso! Concordo plenamente com tudo que vc disse, principalmente com a parte em que Carolyn é a rainha-mor! Demais essa “velha safadíssima” como vc bem disse! hahahaha
    Enfim, estou gostando bastante dessa temporada, espero que só melhore daqui pra frente!
    p.s: Que diabos de nome é “Merica”? pior do que em Caramoan quando Malcom espertinho homenageou sua mãe dando à tribo o nome de “Enil-Edam”! hahahahha Shirin indignada com o nome foi o máximo….
    Ótima review Pedro!