Compartilhar

“It’s going to be my masterpiece. My Mona Lisa. My Breaking Bad Season 5.” 

Não tem como não ser repetitivo ao falar de The Flash. Os episódios estão todos tão bons que os elogios são inevitáveis! Mais uma vez a série nos entrega um magnífico episódio, dinâmico, bem equilibrado, extremamente relevante para  o desenvolvimento da série e com vilões empolgantes. Fico feliz que ultimamente os vilões apresentados são mais consistentes e causam maior agitação na série, mesmo sendo vilões da semana, suas aparições são marcantes. Foi assim com o Weather Wizard, Captain Cold e agora com o Trickster (os tricksters, na verdade). É admirável também o trabalho contínuo de aprofundamento dos personagens, a adição de novas camadas à história sem criar confusão na cabeça dos telespectadores, e a evolução em relação aos efeitos especiais, tendo em vista o orçamento da emissora. Enfim, palmas para a CW e para a produção dessa série, que me deixa cheio de orgulho!

São episódios como “Tricksters” que nos fazem lembrar porque passamos a gostar tanto dessa série em tão pouco tempo. As cenas introdutórias do episódio foram simplesmente espetaculares. Já vimos a cena do embate entre o Flash e o Flash Reverso várias vezes, mas não daquele jeito. A maneira diferente de mostrar esta mesma cena nos possibilitou uma visão diferente da situação, mais intimista, pudemos, de uma maneira indireta, vivenciar aquela situação ora como Nora Allen, ora como Barry. É engraçado que a cena foi tão rápida, mas mesmo assim tão significativa, pelo menos pra mim.

Apesar de a emoção estar um pouco mais presente do que a ação neste episódio, todos os plots foram tão bem preenchidos de sentimento (até o dos vilões) que nem sentimos tanta diferença. Mas, as vilanias do Trapaceiro filho (e as do pai também, obviamente) cumpriram muito bem o papel de trazer um pouco de ação/tensão ao episódio. A emoção tomou conta de Barry e, por uma parte, é muito bom ver que um herói também pode ser tão inocente e vulnerável, afinal Barry  não esteve 5 anos preso em uma ilha (supostamente né) para deixá-lo frio, calculista e difícil de demonstrar emoção. E mais, penso que isso é um chamariz natural de Barry, mais um elemento significativo que compõe o seu carisma. Grant Gustin está realmente representando! O que foi aquela cena dele com Joe na prisão do STAR Labs? Tocante.

Trick02

Os vilões da semana, com já disse, foram bem empolgantes. Mark Hammil reprisar o seu papel de Trapaceiro foi uma decisão absolutamente acertada, houve uma entrega completa do ator como Trickster, afinal ele já dominava a “arte de trapacear” bem antes dessa série. Isso ajudou na criação de uma grande e real ameaça a Barry depois do Flash Reverso – é claro -, já que não envolveu apenas o fato de Central City correr perigo, também mexeu com o emocional do nosso herói por ele ter usado seu pai como refém, o que resultou na cena (awesome) entre ele e Joe, já citada anteriormente. A única coisa que me incomodou um pouco foi o Axel, que forçou um pouco a barra ao tentar se parecer com o vilão original, o qual depois descobrimos ser seu pai. Fora isso, os dois se mostraram bons vilões. Ri tanto com a referência a Star Wars! E com o “My Breaking Bad season 5″ também. Demais!

Imagino como deve ter sido difícil pra Barry estar no mesmo ambiente que Wells, pensar que pode estar respirando o mesmo ar que o assassino da sua mãe. Isso acabou o colocando numa posição arriscada, até porque nada escapa do Dr. Wells! Ele percebeu a mudança de atitude de Barry desde o comecinho. Cisco e Caitlin, apesar de não terem aparecido muito no episódio, sempre conseguem fazer a diferença né? Cisco e suas tiradas geniais, Caitlin compreensiva como sempre. A cena deles com Henry Allen foi ótima. Aliás, tudo o que envolveu Henry Allen no episódio foi ótimo. Não houve surpresa quando Barry se revelou para seu pai, mas mesmo assim foi uma bela cena.

Trickster também foi importante para mais um momento de exposição do Dr. Wells, que fez com que Barry ficasse muito mais desconfiado (quase certo) de que o homem que ele tanto admirava é o assassino da sua mãe. Foi genial aquela bomba que ele colocou no Flash, obrigando-o a correr loucamente. Só achei que Barry bobeou demais ali, James colocou a bomba muito fácil nele. Wells descrevendo a sensação de correr foi tão envolvente que até eu queria estar no lugar de Barry (sem a bomba é claro), e obviamente isso abriu espaço para a desconfiança de Barry. Foi também a primeira vez que ouvimos sobre a speed force” na série, acho que ninguém desgrudou o olho da tela nesse momento! A cena em si foi muito atrativa, certo suspense e uma expectativa pra ver se Barry conseguiria se sair bem ou não.

Trick04

Pra finalizar, o drama de “Eobarrison”. Dá pra imaginar o quão evil e esperto é o Eobard? Até antes desse episódio não dava. Quer dizer que ele ficou preso no tempo quando veio matar Barry, aí pra não ser reconhecido e para antecipar a explosão do acelerador roubou a aparência do pobre Harrison Wells, que estava pra criar o STAR Labs junto com sua esposa Tess… Não sabia o que dizer, e acho que nem sentir! Um misto de surpresa, choque, euforia… Tudo! Quase enlouqueci depois desse final! QUE FINAL! Só sei que até os flashbacks aqui estão detonando.

Será que o verdadeiro Harrison Wells ainda está vivo? O que será de Barry, de Central City e do Team Flash daqui pra frente?? Tudo está se encaminhando para um belo final de temporada não acham?! Já estou extremamente ansioso pelo próximo episódio!

Observações Finais:

> Achei totalmente desnecessário Barry ter se revelado para Eddie. Não sei se fui só eu, mas não vi relevância nessa revelação.

> Iris caiu mesmo na história de que Mason foi explorar a Amazônia com seu novo amor? Really?

> A primeira cena com o Trickster original me remeteu imediatamente a Hannibal! Aquela cela toda segura, os detetives o entrevistando… Melhor foi a segunda vez quando não trouxeram bala e o vilão reclamou. Hahahaha.

> Tess era linda mesmo não acham? Qual o encanto de Harrison Wells hein?

Eai pessoal o que acharam? A série segue excelente, será que vão conseguir manter assim até o fim da temporada? Não esqueçam de deixar suas opiniões, críticas e sugestões. Nos vemos agora só depois do dia 14, já que o próximo episódio – “All-Star Team Up” – só volta nesta data. Espero que não demore. Até a próxima!

Review
Nota do Episódio
Compartilhar
Estudante de Direito, paulistano e louco por séries. O gosto pela leitura e a paixão por TV me trouxeram ao mundo das séries, e dele eu não arredo mais o pé! Eterno fã de How I Met Your Mother, seria talvez a mistura de Marshall Eriksen e Ted Mosby, seguidor da "filosofia" de Barney Stinson em alguns aspectos. Mulher ideal? A mistura de Lily, Robin e Tracy é claro! Aqui no MS vocês podem me encontrar nas reviews de Resurrection, Reckless, Arrow e The Flash. Só um cara correndo atrás do que o faz feliz e mais completo. Lema? “When I get sad, I stop being sad and be awesome instead.” #TrueStory
  • Nayron Pereira

    Cheguei a desconfiar de que poderia ser semelhante ao NUCLEAR. Mente de um corpo do outro. Seria muito bom para a série não perder o ator… Ele é excelente.

  • Luiz Fernando

    Em um dos trailers dos episódios futuros, aparece o capitão Lance e o detetive West encontrando um corpo.
    Acho eu que é do Wells.
    Uma pena que Tom Cavanagh pode deixar a série.
    Gosto muito dele.

    Bom, a batalha final está chegando!

  • Bia N.

    Necessidade zero o Barry revelar a identidade dele pra o Eddie. Bastava ele contar como Flash mesmo e dizer “Olha, ela me pediu pra investigar, mas é perigoso” e pronto. Pra que contar quem ele é? ¬¬

  • Henrique Reis

    Sem necessidade o Barry se revelar para o Eddie, muito sem noção, só vai criar inveja no homem. Foi muito bom acompanhar por outro ângulo o momento em que o Flash e o Flash Reverso brigam. Foi rápido mas valeu muito a pena.

  • fabio Rodrigues

    Que otimo episodio.
    Também não vi grande necessidade em contar tudo para Eddie, quero dizer, a desculpa que ele deu podia ter sido muito bem dada pelo Joe, que tambem é policia e podia ter obtido aquela informação ainda mais facilmente que o Eddie.

    Foi um grande episódio mesmo, não tenho grande teorias porque foi um final de episodio muito aberto e agora tudo pode acontecer, mas se a série continuar assim, vai ser uma season finale bombastica.
    Acho que agora eles acertaram bem na essencia da série… Colocar um vilão da semana juntamente com um plot continuo está otimo! Só tenho medo que eles comecem a usar os vilões todos de flash e depois tenham de ir buscar vilões a outros herois (kkk indirecta para Arrow).
    Foi um otimo epiosido e uma otima review Marcelo! Parabens mais uma vez, as suas reviews são sempre as minhas preferidas para comentar, como sabe! :) um grande abraço!

  • Mauro C. Novaes

    Fisicamente,o Eobard se parece com o Eddie.

    • Jairo De Souza Melo

      Pois é, o Eobard é do futuro, e tem o mesmo sobrenome do Eddie, Se a serie seguir os quadrinhos (na verdade ela já esta fazendo isso)… o Eobard é Descendente do Eddie…! pois é pois é..!!!
      Veja bem, isso explica a aparência, e o sobrenome, mas é uma descendencia bem longa, tipo, uns 400 anos, pois nos quadrinhos, o Eobard/Flash Reverso veio do Século 25, ou seja 400 anos a frente do século 21, que é o tempo presente onde se passa a história da série do Flash!

  • Jairo De Souza Melo

    Sabe uma coisa que eu nunca entendi???
    Se esse Flash Reverso for como o dos quadrinhos, ele veio do século 25, isso é uns 400 anos depois do tempo presente…, ou seja o Flash (Barry Allen), mesmo com seus super-poderes, já teria morrido há muito tempo..!!! Então pra que voltar tantos anos tempo só pra matar o Barry Criança..????? Queria entender melhor isso !!

    • Sandro Griebeler

      Realmente, essa parte está meio confusa. Porque quando Eobard provoca o acidente, 15 anos atrás, e Tess morre, ele diz ao Wells que ela já está morta há séculos. Porém, o jornal do futuro, que ele olha toda hora, é datado de 25 de abril de 2024, então creio que Eobard venha dessa época. E o porquê dele querer matar o Barry ainda é um mistério.