Compartilhar

IT’S A BIRD?! IT’S A PLANE! IT’S… MY BOYFRIEND!

Episódio engraçadinho, apenas. É meus caros, não é porque a série é excelente que não haverão alguns episódios menos empolgantes. Infelizmente, “All-Star Team Up” foi um dos mais fracos depois daquela engrenada que a série deu a partir do nono episódio e, apesar de estar bem organizado e até dinâmico, muito do que foi abordado não conseguiu prender a minha atenção. Tivemos um pequeno desenvolvimento em relação ao Flash Reverso, mas além disso, nada foi tão importante para o caminhar da história.

Comecemos com a chegada da musa do Team Arrow a Central City. Podem falar o que quiser dela, mas é inegável que Felicity Smoak sempre dá um up nas hitórias, tanto de Arrow como de The Flash. Esse up só não foi tão evidente dessa vez porque Ray deu uma desanimada no plot. OK, ainda estou meio bravo com ele desde o 1×17 de Arrow, e talvez seja por isso que não vi tanta graça na participação dele no episódio. O empresário metido a vigilante chegou até a dar uma ajudada no combate à vilã (que inclusive faz parte do seu universo), mas nada muito relevante com relação a ele. Quem continua se destacando, com participações especiais ou não na série, é Cisco, que numa atitude heróica, mas muito arriscada, levou uma picada de abelha no lugar de Ray. Independente da relevância, os dois formaram uma ótima dupla. Deu pra dar umas boas risadas com eles no episódio.

Por uma parte fiquei feliz ao saber que toda a história que tinha acontecido antes de Barry voltar no tempo não foi totalmente apagada. Fiquei meio apreensivo ao ver Cisco começando a lembrar daquele fatídico dia, mas a situação foi tão chocante/incrível que tiveram que reinserir as cenas na série, primeiro porque isso prenderia o público e porque causaria uma grande agitação na história, por dar cada vez mais convicção ao Team Flash de que Harrison Wells é mesmo o Flash Reverso.

Agora, Barry ter descoberto que Dr. Wells é o big villain o deixou meio chato, não acham? É óbvio que ninguém tem sangue frio pra aturar o suposto assassino da sua mãe, mas poxa, ele precisa parar de pensar tanto e tomar logo atitudes pra conseguir resolver toda essa situação! Criar um drama em cima de Caitlin e Cisco foi desnecessário, quantas vezes eles deixaram de apoiar ou de acreditar nele? Até parece que se eles soubessem a verdade ficariam do lado de Dr Wells. Agora que sabem, ficará tudo ainda mais interessante. Se Barry estiver realmente focado em acabar com essa história, tem que saber jogar, e agora, com a ajuda dos amigos creio que ficará mais fácil.

All Star Team Up

Bertram Larvan foi transformado em Brie Larvan na série e, admito que tal fato me deixou extremamente curioso. Saber como Emily Kinney se sairia no papel do vilão Bug-Eyed Bandit foi um dos motivos que me deixaram ansioso pelo episódio. Confesso que me decepcionei um pouco, não sei se porque a vilã não teve o destaque necessário ou porque não foi bom mesmo, talvez ela ficou completamente ofuscada pelos outros plots, e basicamente serviu para mostrar que Cisco é um herói e para causar uns probleminhas para Felicity. Agora promover a vilã como nêmesis de Felicity não é justo e nem lógico, não chegou nem perto disso! Também, não foi dado o enfoque necessário para que isso pudesse fazer sentido.

Apesar de tudo, as abelhinhas robóticas deram um trabalhão para o All Star Team. Não gosto de chamar assim porque faltou Laurel, Oliver, Roy e Dig para o time ficar completo, mas seria bem estranho ver o Team Arrow em peso lutando contra abelhas, então a formação estava satisfatória para o momento. Só sei que fizeram até o Flash ter uma parada cardíaca! Enfim, as abelhas da Bug-Eyed conseguiram dar um certo status a ela e tirá-la do grupo dos vilões vergonhosos. Aquelas abelhas atacando a moça no carro, depois saindo da boca da segunda vítima e ainda tentando atacar a Drª Tina McGee no Mercury Labs me fizeram lembrar de alguns filmes de terror, bem como de outras séries como The X-Files ou Grimm, que já apresentaram casos parecidos.

Para terminar, outro drama em parte desnecessário na série. Porque diabos não falam logo a verdade pra Iris? É bem como Eddie falou, todo mundo já tá sabendo, menos ela. Joe não pode ficar controlando o que a filha deve saber ou não. Ela não quer saber o motivo de Eddie estar estranho? Pois que contem tudo a ela! Ninguém mandou Barry se revelar pra Eddie. O drama teve um lado bom, porque vimos Eddie sofrer, e esse lado sofredor dele parece bem interessante. Vai que desencadeia algum potencial de vilão nele não é? Sofrência também pode fazer de alguém um vilão!

Gostei também porque essa briga entre o detetive e Iris fez o jantar bizarro ficar mais bizarro do que já estava. Ray reservando o restaurante inteiro para eles e Barry agindo de um modo depressivo já faziam daquele um jantar horrivelmente inesquecível, aí pra deixar tudo ainda melhor, a briga de casal fechou com chave de ouro. O melhor foi Barry dizendo “Oh thank God. It’s the food. The food is here”, para tentar desviar a atenção da discussão. Hilário!

Observações Finais:

> Os dois minutos finais do episódio como sempre representando!

> Barry, Eddie e Joe combatendo o crime foi bem divertido de ver. Agora nada de ficar se achando né Barry, senão Eddie fica com ciúmes! E tendo em vista o parentesco dele, nunca se sabe o que pode acontecer se alguém irritá-lo. Vai saber né!

> Gostaria de ver Bug-Eyed Bandit de novo, como agora ela sabe quem é o Flash, pode ser que volte pra dar uma chantageada no nosso herói. Mas não nessa temporada.

> Joe, sua filha já sabe tomar decisões ok? Não acho que até que uma mulher se case quem decide o que é melhor pra ela é o pai. Século 21, bro!

> Esse foi o episódio de páscoa né, porque duas ressuscitações em apenas 43 minutos não é pra qualquer um! Hahahaha.

> Laurel também é musa do Team Arrow! Só pra não causar brigas entre os fãs. E Caitlin é claro, musa exclusiva do Team Flash. Ah, essas mulheres! Que mulheres!

Eai galera, o que acharam do episódio? Semana que vem tem mais! Deixem seus comentários, críticas e sugestões, tudo será muito bem-vindo! Até a próxima.

Compartilhar
Estudante de Direito, paulistano e louco por séries. O gosto pela leitura e a paixão por TV me trouxeram ao mundo das séries, e dele eu não arredo mais o pé! Eterno fã de How I Met Your Mother, seria talvez a mistura de Marshall Eriksen e Ted Mosby, seguidor da "filosofia" de Barney Stinson em alguns aspectos. Mulher ideal? A mistura de Lily, Robin e Tracy é claro! Aqui no MS vocês podem me encontrar nas reviews de Resurrection, Reckless, Arrow e The Flash. Só um cara correndo atrás do que o faz feliz e mais completo. Lema? “When I get sad, I stop being sad and be awesome instead.” #TrueStory
  • Mauro C. Novaes

    Só acho que em algum momento,da timeline original – ou não -,Cisco será o herói que está destinado a ser,e Caitlin se tornará a vilã que merecemos ver. Harrison Wells/Eobard vai causar muitos estragos em Arrow/Flash,e como ele disse “não se deve mexer no tempo” pois causaria consequências inimagináveis.

    /The Flash/Arrow Spin-Off poderia ser o resultado dessa mudança. E se o Harrison voltar,mais uma ve,no tempo e acabar matando Henry e/ou Barry ao invés da Nora? Isso poderia ser o efeito-borboleta que criaria um novo universo DC. É uma possibilidade para revermos Sara(caso Caity não interprete um clone/sósia da Canário)na pele da vilã Canário Branco(o pessoal anda discutindo muito essa teoria).

    /Barry,volte no tempo e evite terminar com a Linda. Já que falamos de universos paralelos,não seria improvável que ele casasse com a esposa do sobrinho,Wally. Iris se tornou mais irritante que a Laurel da 2ª temporada(e olha que ela estava na fase dorgada/depressiva e não ‘em seu estado normal’).

    /Minha teoria é que Barry consiga deter o Eobard,mas ele ainda retorne para uma temporada futura,afinal o Flash Reverso é o maior vilão do velocista escarlate. E minha teoria/plano B é que Eobard deixe de existir,e quem vestirá o manto do Flash Reverso será seu ancestral,Eddie.