The Voice US | Reviews – 8×21-22: TOP8 Live Show/Results

3043
Compartilhar

O Ministério da Saúde adverte: review contraindicada para portadores de fanatismo cego e fã-bombismo.

Antes de iniciar a review propriamente dita, eu gostaria de me desculpar a todos que foram direta ou indiretamente ofendidos por uma fã louca de Adam Levine nos comentários da semana passada. Discordâncias são sempre bem vindas, mas nós aqui do MS prezamos por educação, respeito e bom senso nos comentários e a referida senhora (acreditem ou não, era uma mãe de família) não soube discordar sem me ofender e ofender algum de vocês que compartilhavam da minha opinião, então eu me desculpo por esse constrangimento. É claro que é um texto opinativo, mas eu tento ao máximo ser imparcial nos julgamentos que faço aqui – o que não faz de mim alguém que poupará críticas apenas para não desagradar uma base de fãs.

Os episódios de TOP8 foram outros bons exemplos de episódios completos: com boas performances dos participantes, boas performances dos artistas convidados e resultados coerentes. Eu fiquei bastante empolgado porque a grande maioria dos finalistas entregou suas melhores performances na competição até aqui, principalmente de quem eu menos esperava, o que equilibrou ainda mais a disputa e exacerbou a principal característica dessa temporada (que comentamos na outra semana): a imprevisibilidade. Tudo realmente pode acontecer na oitava edição do programa – exceto pela eliminação de Sawyer – o que faz com que o suspense, excitação e tensão aumentem maravilhosamente.

A ideia de reunião dos ex-coaches acabou funcionando muito bem – principalmente porque eram 3 dos melhores coaches que a franquia americana teve. Gwen Stefani, Usher e Cee Lo Green fizeram aparições válidas, divertidas e colaborativas, contribuindo significativamente para o sucesso do episódio. Se a presença de Cee Lo prejudicou o desempenho dos candidatos do Team Blake perante o público (ou se foi apenas uma mera coincidência) jamais saberemos, mas eu, que imaginava que iria, acredito que não tenha sido crucial não. Até Shakira apareceu explicando sua ausência em um videozinho rápido. É uma ideia que seria eu não me importaria se repetissem nas próximas temporadas, mas, preferencialmente, no TOP12 – porque aí será sem spoilers de que equipe não será dizimada.

Abrindo o primeiro episódio da semana, o TOP8 se apresentou em grupo, mas de forma separada: enquanto os homens cantaram Hey Brother e as mulheres cantando Wake Me Up, ambas de Avicii. As duas partes ficaram surpreendentemente muito harmônicas e boas, embora eu já esteja enjoado de ambas as canções escolhidas. Destaques individuais para Joshua, Kim, India e Hannah.

As participações especiais estavam a todo vapor. Na segunda-feira, o coach Blake Shelton aproveitou para divulgar sua música mais recente Sangria – e oferecer mais uma aparição à Gwen Sebastian no programa como backing vocal dele. Eu gostei, mas ainda prefiro outras músicas dele.

Ainda na segunda, a apresentação mais esperada por mim indubitavelmente era a de Matt McAndrew, que depois de terminar em segundo lugar na última temporada, veio para lançar sua nova música, intitulada Counting On Love. É uma música excelente, mais upbeat e portanto bem diferente de Wasted Love que era mais uma balada e ele brilhou ao vivo como nós imaginávamos. É um dos meus homecomings favoritos ao lado de Juliet Simms com Wild Child e Will Champlin com Eye Of The Pyramid e os números inicias de vendas foram bem entusiasmantes.

Na terça-feira de resultados, tivemos mais 3 convidados se apresentando. Começaremos por Rozzi Crane, que cantou Psycho – seu primeiro single solo e integrante do seu primeiro EP. Ela é um novo nome do indie pop, assinada com a gravadora de Adam Levine (que inclusive fará participação em uma das músicas dela, denominada Painkiller) e que ele tem apostado bastante, colocando-a como colaboração em Come Away To The Water (da trilha do The Hunger Games) e para abrir os shows da turnê mundial de Maroon 5 nos Estados Unidos e Canadá. Eu senti uma pegada deliciosa de Kat Robichaud nela e na música, que me agradou muito. Ficarei de olho nos próximos trabalhos, mas já torço para que vingue. Jabá feelings, hein!

Jason Derulo também se apresentou no programa com a sua Want To Want Me – que ele havia divulgado no American Idol há pouco tempo. A performance contou com as participações de Kimberly e India e foi bem legalzinha, embora eu não o ache nada especial. Não entendi porque India pegou a parte mais alta da música na divisão, que definitivamente não é seu forte, mas nem comprometeu. Uma saudade: Amanda Brown e Ne-Yo cantando Let Me Love You!

O cantor country Lee Brice encerrou as apresentações especiais cantando Drinking Class ao lado de Corey e eu gostei muito da performance. Confesso que não conhecia a música, mas gostei (e ele me lembrou Craig pelo timbre e postura). Poderia ser facilmente o dueto de finalista caso Corey chegasse à grande final, porque ficaria bem interessante.

Vamos agora às performances do TOP8:

Hannah Kirby – We Don’t Need Another Hero (Tina Turner)

Eu sou apaixonado por Hannah e nem faço questão de esconder. Eu acho Tina fantástica e WDNAH um dos seus grandes hinos, por isso eu realmente pensei que seria uma mistura explosiva e que teríamos um resultado para se glorificar de pé. Ledo engano. Foi a performance mais fraca (do ponto de vista vocal) e menos empolgante de Hannah na temporada inteira. Eu entendo a preocupação de Blake com as críticas de que ela gritaria muito nas apresentações, mas eu prefiro uma performance gritada bem executada do que algo mais contido mas explorando seu registro baixo que definitivamente precisa de mais desenvolvimento, como Christina destacou em seu comentário. Infelizmente, considerando que a maioria das outras apresentações foram muito boas e mais marcantes e que Hannah herdou a sina de Holly Tucker de abrir TODO SANTO PROGRAMA, é bem provável que seja a penúltima vez que nós a escutemos no programa.

Joshua Davis – Fields Of Gold (Sting)

Eu ainda acho uma grande injustiça Joshua estar no TOP8 em lugar de Rob, mas não podemos ignorar o fato de que foi uma performance impecável – inquestionavelmente sua melhor na competição e uma das mais marcantes da noite (pelo menos ele recompensou o presente que recebeu). Uma escolha musical bem feita (aparentemente feita por ele próprio) e a presença de um coach de verdade auxiliando-o realmente fizeram uma notável diferença aqui. Os vocais foram certeiros, sem insistir na infeliz ideia de forçar sua voz em notas altas tremulantes e sofríveis. Reconhecer limitações não desabona ninguém, muito pelo contrário. O mais importante, entretanto, foi que ele voltou a se conectar emocionalmente com o que cantou e conseguiu, desse modo, nos emocionar. Uma recuperação surpreendente, mas grata – certamente o garantiu mais uma semaninha (agora de forma merecida) e que (quiçá) estimule Adam a se dedicar mais e dar a ele mais liberdade e poder de decisão nas próximas semanas.

Kimberly Nichole – Creep (Radiohead)

Gostaria de escrever aqui, mas estou APENAS SEM OXIGÊNIO SUFICIENTE. Kim reinventa momentos memoráveis a cada semana e segue nos impressionando e nos boquiabrindo. Ela é um espetáculo em forma (sobre)humana e adjetivo nenhum descreveria com justiça a grandiosidade dessa performance – que para mim pode não superar, mas pelo menos se equipara a House Of Rising Sun. E ninguém jamais superará Juliet Simms na minha lista de favoritos gerais, mas eu já considero que Kimberly atingiu o patamar dela e é uma das minhas favoritas de todas as temporadas.

Em tempo, o arranjo – por sinal maravilhoso – não é uma criação originalmente dela, mas uma adaptação da versão do Postmodern Jukebox, um grupo que sempre dá um toque de jazz para músicas bem modernas e que eu conheci por meio de Joey Cook do American Idol que fez questão de dar-lhes crédito por sua elogiada interpretação de Fancy no programa. O que importa é que é um arranjo autêntico, muito bem pensado e criativo que funcionou brilhantemente para ela e que fez com que uma música tão frequentemente cantada não soasse repetitiva.

A decisão dela e de Xtina em mostrar um lado seu mais vulnerável e emocional e também mais controlado vocalmente foi muito inteligente, porque sabemos que as críticas absurdas sobre ela apenas gritar e não emocionar cresciam. A forma como ela se doou a performance acrescida de uma boa pitada de teatralidade fizeram com que a apresentação soasse crível e que a forte mensagem da letra nos fosse passada de modo muito profundo e passional. Casada com uma produção impecável e com a excelência vocal de sempre e encerrada de forma epicamente arrepiante fez com que Kim superasse todas as versões existentes e se colocasse, MAIS UMA FUCKING VEZ, entre as melhores apresentações de TODAS AS TEMPORADAS – se destacando dos demais mesmo em uma noite muito boa.

Meghan Linsey – Something (The Beatles)

O fato é que Meghan nunca nos entregará uma apresentação menos que tecnicamente muito sólida e sua experiência se evidencia também na maneira como ela se porta no palco. Eu não sou exatamente um fã de Beatles e esse foi provavelmente um dos pontos de Meghan não ter ficado entre as minhas favoritas inicialmente ainda que tenha nos entregado uma ótima performance. Revendo e revendo (e vencendo minha resistência inicial) ela acabou me cativando mais. Eu adoro apresentações com riqueza instrumental e a composição deles nos degraus no palco ficou bem bonita. Foi uma apresentação bem emocional e sobre os vocais eu só faço uma crítica: eu acho que teria ficado um conjunto mais bonito se ela tivesse, como Kim, se segurado um pouco mais e economizado nas notas altas do meio para o fim – como fez no início. Todavia, não há dúvidas: a consistência de Meghan deve ser premiada ao menos com uma vaga na final.

India Carney – Over The Rainbow (Judy Garland)

Se nós temos um superestimado-mor na temporada, temos também uma subestimada-mor: é incrível como India não consegue reverter o público a seu favor ainda que faça apresentações sempre muito consistentes. Foi extraordinário o que ela fez hoje com uma música tão banalizada em realities musicais mundo afora – inclusive com uma versão insuperável na terceira temporada de um dos meus favoritos, Nicholas David. Os vocais foram uma verdadeira aula como ela não fazia há um bom tempo – eu diria que desde a batalha uma música não combina e valoriza tanto os pontos fortes do seu tom. Uma composição visual incrível para a performance, somando-se a um figurino e penteado igualmente maravilhosos. A emoção de sempre se fez presente, principalmente porque é uma música que significa muito para ela – o que ficou explícito aqui. Sem dúvidas a melhor apresentação dela nos Live Shows e um dos grandes destaques da noite.

Sawyer Fredericks – Simple Man (Lynryd Skynryd)

Outro que fez com que eu desse a mão à palmatória: desde as audições Sawyer não me encantava e me parecia tão nitidamente talentoso e promissor. É a primeira vez que eu julgaria digna sua presença (constante) no topo dos charts. Surpresas à parte, ao que parece, a música foi uma escolha de Pharrell e foi provavelmente seu maior acerto nas duas temporadas que participou até agora. Vocais consistentes e um esforço admirável para deixá-lo menos inerte e estático no palco (fazendo-o se movimentar e interagir com a plateia pela primeira vez). O que mais me agradou foi que não foi uma performance apática e inexpressiva como costumeiramente: ele estava realmente imerso na música e conseguiu traduzi-la sentimentalmente (para mim, também algo inédito até então). Deixou de ser apenas um timbre diferente e gostoso de ouvir. Excelente e, se seguir esse caminho, eu não me frustrarei (TANTO) de vê-lo sendo coroado.

Corey Kent White – When I See You Smile (Bad English)

Serei repetitivo, mas é inevitável: Corey também nos entregou sua melhor performance no programa. Uma pequena diferença: apesar de uma evolução considerável em relação a ele nas outras semanas, ele ainda ficou abaixo da grande maioria (superando, em minha opinião, somente Hannah). Limitações à parte, não foi seu grande momento como Blake entoou (de forma quase implorativa), mas ele fez o que podia e superou minhas expectativas – principalmente porque eu acreditava que a música fora de sua zona de conforto, ainda que ligeiramente, fosse derrubá-lo. Os vocais ainda precisam de aperfeiçoamento e ele falhou em alguns momentos, mas ainda foram melhores que nas apresentações anteriores (pelo menos das etapas ao vivo) e também eu gostei porque foi uma performance animadinha, divertida e com um excelente trabalho de palco – e não extremamente enfadonha e fora do tom como ultimamente. Muito boa!

Koryn Hawthorne – Girl On Fire (Alicia Keys)

É engraçado que Koryn embora seja uma das mais jovens na competição seja uma das que demonstram mais autoconhecimento e personalidade e que mais brigam por sua liberdade criativa. A música foi uma sugestão dela que Pharrell acatou. O arranjo – outra ideia dela – ficou muito bom: bem dividido, diferente do original, mais emocional e permitindo que ela exibisse um enorme dinamismo vocal e eu a admiro por crescer cada vez mais como artista. Vocalmente foi um pouco vacilante em alguns momentos e levemente exagerado em outros (principalmente mais para o finalzinho, o que me fez curtir muito mais o início da apresentação mais contido). Gostei do trabalho de palco, embora ela sempre receba produções muito pobrezinhas em comparação aos demais. O que pegou e acabou dividindo muitas opiniões é que ela tinha um grande peso em reviver Make It Rain e eu senti como se ela estivesse tentando nos empurrar outro grande momento goela abaixo. Em minha opinião, Koryn foi razoavelmente bem, mas pecou pela gritaria e expressões dramáticas em excesso, o que me impediu de aplaudi-la plenamente hoje.

Depois de um bom número de excelentes performances e outras que, embora não excelentes, tenham sido minimamente muito boas, o meu ranking da semana ficaria:

  1. Kimberly Nichole – 10,0 (soma geral: 29 em 30 possíveis)
  2. India Carney – 9,5 (soma geral: 26 em 30 possíveis)
  3. Joshua Davis – 9,0 (soma geral: 23,5 em 30 possíveis)
  4. Sawyer Fredericks – 9,0 (soma geral: 23,5 em 30 possíveis)
  5. Meghan Linsey – 8,5 (soma geral: 27 em 30 possíveis)
  6. Koryn Hawthorne – 8,0 (soma geral: 26,5 em 30 possíveis)
  7. Corey Kent White – 8,0 (soma geral: 21 em 30 possíveis)
  8. Hannah Kirby – 8,0 (soma geral: 25 em 30 possíveis)

A boa semana de apresentações do TOP8 refletiu em um bom número de vendas no iTunes para os oito finalistas, garantindo a ambos presença no TOP50. Eu considero um reconhecimento da evolução dos participantes e as posições foram, com algumas exceções, bem coerentes e sensatas com o que ocorreu.

Joshua de beneficiou de ser o único membro do Team Adam, mas sua boa performance já o credenciaria para atingir o TOP10 do iTunes (em #4), perdendo apenas para Sawyer (que ficou em #2 e novamente quase chegou ao topo). Ambos garantiram o bônus de terem seus votos pro download multiplicados por 10. A minha grande surpresa foi Kimberly ficar fora do TOP10, ainda que muito próxima (#12) depois de uma grande aula de singularidade e qualidade de estrela que ela nos deu. A ordem seguinte ficou: Corey (#20), Meghan (#26), India (#29), Koryn (#35) e Hannah (#39). India é, definitivamente, outra candidata que merecia uma posição superior, mas o público realmente não se cativa por ela – pelo menos não ainda e não mais que os outros. Corey foi um pouquinho superestimado e é a prova de que, se fosse um pouco melhorzinho, era um finalista FÁCIL e com chances de desbancar Sawyer inclusive.

A verdade é que todo mundo exceto Sawyer, Joshua e Kim corriam riscos (maiores ou menores de estarem no B3) – que, para mim, seria Corey, Koryn e Hannah por preferência e India, Hannah e Koryn por aposta. Acabou que fomos surpreendidos em dois pontos: a presença de Corey e a ausência de Koryn.

Eu juro que não esperava que Corey faria parte desse B3 mesmo sendo o mais fraco entre os 8. Ele vendeu muito bem no iTunes e o público country de raiz é um público muito forte e leal, mas não compraram o bonitão. Koryn foi uma surpresa menor, porque o apoio do público gospel e do sofá – que não compram músicas no iTunes – era imaginado e contribuiu para que ela se safasse.

Vamos às Last Chance Performances agora:

Hannah Kirby – Radioactive (Imagine Dragons)

Até aqui a pobrezinha se apresenta primeiro, uma grande lástima porque Hannah era realmente uma das minhas queridinhas e merecia melhor sorte. Radioactive foi uma boa escolha para ela – ainda que o arranjo curtinho tenha desperdiçado umas partes realmente excelentes da música – porque explorou bem o potencial das suas notas altas e o diferencial de seu timbre. Ela conseguiu dominar o palco e nos entregar uma performance bem executada e acertadamente enérgica ainda que sob pressão. Excelente – e bem superior a sua última performance.

Corey Kent White – Somebody Like You (Keith Urban)

Somebody Like You é uma das minhas canções countries preferidas e também foi uma escolha segura e acertada de Corey. Talvez eu considerá-lo o candidato mais fraco do TOP8 e ele disputar uma vaga com duas das minhas favoritas na competição fez com que ele não me empolgasse muito. A apresentação foi certinha e melhor que a maioria dele no programa, mas, ainda mais sem o violão acompanhado (que lhe deu mais liberdade e mobilidade no palco, em contrapartida) ele soou muito genérico e comum. Boazinha!

India Carney – Human (Christina Perri)

Human rendeu, nos últimos anos, duas boas apresentações no The Voice US: um grande momento para Tess Boyer e uma apresentação boazinha de Mia Pfirmann. O que India fez? Simplesmente deu um banho nas duas. Eu não me contive em imaginar que uma versão estendida e produzida dessa música, em uma situação em que ela não estivesse correndo risco de eliminação, poderia ser o seu tão aguardado BANG no programa, pois em noventa segundos ela conseguiu nos impressionar com vocais destruidores e uma interpretação sincera e emocional como a música pedia. Corey foi bem, Hannah foi muito bem, mas India foi quem me faria levantar para aplaudi-la e que pela primeira vez na temporada entregou uma Last Chance Performance digna de quem luta por sua permanência.

Salva pelo Instant Save: India Carney

Eliminados: Corey Kent White e Hannah Kirby

Eu estava em dúvida entre Hannah e India antes das apresentações, porque são duas candidatas que eu me interesso muito e porque Hannah cresce absurdamente no meu conceito. Entretanto, após as apresentações, era impossível cogitar não utilizar o #VoiceSaveIndia e garanti-la mais uma semaninha que seja. Team Blake, que ainda estava intacto, perde de uma só vez dois de seus pupilos e se iguala a Team Adam – o que certamente beneficiará tanto Joshua quanto Meghan nas próximas votações.

Engraçado é que a disputa parecia muito equilibrada, com diferença entre ela e Corey variando de 1-2% em favor dele, mas terminou com a vitória dela por DOIS VOTOS, sendo claramente a decisão mais apertada da história dos realities musicais. A hashtag de India alcançou o primeiro lugar no Trending Topics mundiais, mas que uma leve boninhada ficou no ar, ah ficou (e eu agradeço porque ninguém merecia India sendo eliminada para Corey). Sentirei muitas saudades da irreverência e simpatia de Hannah!

O que esperamos agora em relação a India são dois coisinhas simples: uma definição mais clara de perfil artístico para, quem sabe, fazer com que o público se identifique com ela, e também uma escolha musical que lhe garanta uma explosão e um hit nos charts. É importante porque agora eu imagino que o embate principal esteja entre ela e Koryn e a segunda possui não apenas um público bem definido a seu favor (o #TeamJesus) como já esteve no TOP10 do iTunes e pode repeti-lo. Meghan e Joshua sendo os únicos integrantes de seu time, Sawyer sendo o franco frontrunner e Kimberly sendo a estrela do show dificilmente serão eliminados na próxima semana.

Acho que Corey é um talento cru e há muito potencial – principalmente comercial – que valem o investimento, mas ser eliminado no TOP8 sendo jovem, lindo e o único representante do country na temporada é prova de que ele ficou devendo. Pode ser que Blake abra portas para ele em Nashville. Hannah me surpreendeu por ter chegado tão longe, principalmente porque o rock é um estilo desprivilegiado principalmente quando uma mulher o representa, mas o seu carisma, dedicação com os fãs e evolução profissional superaram tais barreiras. Ainda acho que ela merecia mais, mas está de parabéns pelo que já alcançou e desejamos apenas muito sucesso para ela (e também para Corey).

Terminamos por aqui com um dos melhores TOP6 que o programa já teve – talvez quase tão bom quanto os da terceira e quinta temporada. Imagino que eles serão reduzidos a um TOP5, que serão os semifinalistas, enquanto a grande final deve ter 3 participantes. Descobriremos precisamente no decorrer da semana!

Obrigado pela leitura e nos encontramos em breve novamente. Aguardo os comentários de vocês abaixo!

Compartilhar
Gosto de escrever nas horas vagas e assistir séries é meu hobbie predileto, então ser reviewer é o maior dos prazeres. Fã de música e reality show. Vocês vão me encontrar nas reviews de The Voice (Brasil, US, UK e AU), X Factor AU, 2 Broke Girls, Survivor, Chasing Life e na coluna Por Onde Anda, sempre aqui nesse Manicômio !
  • Wagner

    Hoje serei breve. Achei, no geral, o pior episódio da temporada. Eu vi praticamente aquele tom “do mesmo” de vários participantes.
    De Hannah o que vi do mesmo foi ser a primeira apresentar, tadinha. Sdds seus gritos, não gostei. Corey, Joshua, Sawyer e India achei dos mesmos também. Da India, concordo em número e grau que ela não tem um estilo definido ainda nessas fases das lives. Uma pena, já que tem uma das audições que mais gosto. Achei Koryn meio blá e até a Meghan não me cativou dessa vez. Só a Kim mesmo, mas não achei aquele boom todo que ela tem.
    Quanto ao B3, fui quase certeiro dessa vez (na verdade, antes de se iniciar o programa sahushaus). Sabia que Koryn não iria devido seu TOP10 no ITunes semana passada. Achava que iria Joshua ao invés de Corey.
    Mas tipo… Joshua NÃO???? Meu Deus, afirmei com tanta certeza semana passada ehuehueheu
    E sinceramente, acho que teve um roubinho nesse B3. Não estou dizendo que India não mereceu e nem foi porque Hannah, a minha queridinha, saiu (e ainda achava que ficaria em última), mas jurava que Corey ia ficar. Por mais que no twitter do The Voice estivessem uns 2000 mil só de diferença, eu via uns retwitter enormes para salvá-lo.
    Não estou dizendo que não gostei, até porque preferia qualquer uma das duas ao invés do Corey, mas que foi estranho foi, ainda mais quando ele é um dos que mais tem seguidores e ser de um estilo que o povo norte-americano gosta bastante.
    Enfim, depois desse episódio, não afirmo mais nada pra semana que vem ehueheueh. Mas chutando, acho que só Meghan e SAwyer estão salvos. Quanto ao resto, a imprevisibilidade reina aqui…

  • edson pereira

    E ai Pedro tudo bem?
    Não sei se voce costuma baixar as musicas deestudio do The Voice, mas te conto uma experiencia ouvindo a audição do Gabriel Wolfchild, dirigir ouvindo essa musica na voz dele é incrivel, que paz.
    Acho que pela primeira vez vamos discordar em alguns pontos, não totalmente mas em alguns pontos.
    No caso do Saywer eu concordo e mais do que isso, na minha opinião foi a primeira vez nas lives que ele chegou a um honroso segundo lugar na noite que foi primorosa e põe a session 8 como a melhor desde que acompanho o The Voice (assisto desde a session 6).
    A noite teve excelentes apresentações e infelizmente a Hannah que eu tanto amo não se fez presente e ficou bem abaixo de todas as outras apresentações.
    Corey é um ótimo cantor e tem o carinho de muitos fãs principalmente do country, mas acho que a hora dele dentre tantos cantores excepcionais ja estava chegando.
    A Koryn foi bem, mas na minha lista de cantores do R&B preferido a Alicia esta no topo e pra cantar ela teria que ser alguma coisa de outro mundo pra me convencer.
    Mesmo sendo tambem uma das minhas queridas na Session, na minha humilde opinião a Hannah entraria mesmo para o Botton só que acompanhda de Koryn e Corey. Só inverteria a sua ordem e colocaria a Koryn em ultimo lugar essa noite.
    O meu top 5 da noite começaria com a quinta posição para o Joshua que fez uma apresentação linda e que me deixou de boca aberta.
    Em seguida seria a vez de Meghan que nunca me desaponta entregando uma performance no minimo (e digo sempre) sólida, essa mulher é top.
    Na terceira posição esta a deusa India que cantou simplesmente a musica que me trouce minha esposa querida ao altar, que performance, que voz, quanta emoção.
    Agora pra sambar na minha cara de vez vem o Saywer que eu ja tava pegando raiva e faz uma apresentação top assim, pela primeira vez na temporada vi o Saywer que todos querem colocar na final.
    Pra tecer algum comentario sobre a espetacular Kimberly eu faço primeiro uma mini oração:
    Deus por favor se existe alguma justiça ainda no mundo da musica, faça com que essa mulher sagre-se campeã do The Voice 8.
    Agora recomposto de minha oração afoelhado que fiz posso comentar sobre ela kkk.
    Depois de House of Rising Sun, pensei que não teriamos mais com ver ela sambar no palco da mesma maneira, mas pra minha felicidade ela veio de voadora com os dois pés no peito e me entregou uma performance que arrebatou meu coração.
    Confesso que fiquei com um pouco de medo com aquele compasso a mais em Creep, mais como essa mulher não faz nada que não seja perfeito ela foi e arrebentou, quando ja achava a apresentação excelente ela vem com aquele momento que fica gravado dentro da performance e arranca uma lagrima novamente de mim me deixando sem chão e termina apresentação com uma teatralidade impar.
    Pra mim Creep só fica um milésimo de ponto atras de House of Rising Sun porque ela é tão absurdamente que boa que na ocasião conseguiu dois momentos incriveis dentro de uma apresentação.
    Voce fez mais uma vez um ótimo trabalho, espero que ainda veja voce comentando a vitória da Kimberly, abraços.

  • Kelly

    Sinceramente, prefiro a versão Jena Irene de Creep. Assisti a apresentação com muita expectativa e infelizmente elas não foram atendidas.

  • pauloigres

    Não acompanhei esse top8 tao avidamente quanto os outros, ainda preciso rever com mais atenção pra julgar melhor…mas sem dúvidas embora corey tenha entregado sua melhor performance, tenha tido um bom desempenho nos charts e hannah seja prontamente uma das minhas favoritas e como você pontuou possui um crescimento tão grande e gostoso de assistir foi uma performance ok, e sim India salva foi mais que merecido!!!!!! Gosto muito dos 3, confesso que lá no fundo torcia por Hannah, o trabalho dela com Blake achei muito bom durante esse tempo e torço pra que ela só ganhe ainda mais.
    Mas queria fazer uma obs não sei se o Carson anuncia os salvos por ordem de mais votados(creio que sim) pq como tds já devem ter percebido Sawyer é muito querido mas não tenho tanta certeza quanto uma vaga na final garantida (e torço pra que não tenha mesmo rs) pois acho que o top10 do itunes que o têm mantido, creio que uma música fora do top10 e ele estaria fora, já que ele foi facilmente superado 2 vezes por Koryn e agora por Joshua.
    Enfim dito isso quero muito Meghan, Kim e India/Koryn nessa final #teamgirlpower.

  • Guga Ulguim

    foi muito surpreende pra mim, eu havia visto muita gente comentando sobre a incrível apresentação de india, corey me dava medo de tirar minhas favoritas da competição ns primeiras semanas de playoffs, eu temia que hannah fosse parar no bottom 3(infelizmente era minha 3 favorita atualmente), mas a performance dela foi fenomenal, se ela tivesse feito isso na noite das apresentações ela nem estaria ali. bom vou sentir falta dela. nesse momento da competição é dificil não dar merito para os competidores, mas espero que Joshua saia(apesar de adorar seu timbre) e amaria que um milagre acontecesse e todos esquecessem de votar no sawyer.

  • Thawanne Barreto

    Olá, Boa noite!
    Há muito tempo venho acompanhando suas reviews, gosto muito de realitys musicais, The voice sem dúvidas é um deles. Nessa temporada tenho sentido muita falta de um cantor indie marcante, acho uma pena, pois sou fã do gênero, mas por outro lado, estou dando graças pela ausência daquele massacre country.
    Desse top 8, não tenho candidato pelo qual eu torceria, Sawyer seria o que gosto um pouco mais que os outros, seguido pela Hannah, uma pena ela ter sido eliminada.
    Ouço muita gente ovacionando a Kimberly, mas não consigo gostar dela, juro que tentei, mas acho ela genérica e “escandalosa”, “Creep” e “the house of the rising sun” são músicas maravilhosas, já interpretadas por diversos cantores de vozes marcantes, por isso não gostei da apresentação dela, pois essas não são músicas gritadas e nem fazem o estilo “diva”, do team Christina, prefiro a India.

  • Mateus Morais

    Queria começar dizendo que 80% da sua opinião é IDÊNTICA a minha, parabéns pela review mais uma vez!

    Bom, vou botar em ordem de preferência do pior para o melhor na minha opinião.

    8 – Hannah & os baixinhos – QUE QUE FOI ISSO? Não gostei de nada, e me dói o coração dizer isso e principalmente colocar ela em ultimo num ranking de preferência, até porque se for ver o todo da competição, Hannah é minha favorita. Lamentável.
    Achei fraquissimo, senti ela um tanto contida, e a escolha da música ao meu ver não foi boa. E aquelas crianças? Completamente desnecessário, um tanto constrangedor até. O lado bom foi que isso fez com que eu não sentisse tanto caso ela fosse eliminada.
    Se fosse Radioactive certamente eu estaria mais satisfeito.

    7 – Corey- Continuo achando ele sem um diferencial. Ele é bom, mas só, não teve um grande momento, apesar do esforço que vejo nele. Se ficasse mais uma semana seria hora extra no programa, porém, ainda assim foi melhor que Hannah :/

    6 – Joshua – O fato é que ele não me agrada, não sei se é uma implicância inconsciente, mas não consigo achar um primor nada do que ela faça. Mas mesmo assim é inegável a melhora que ele teve. Senti-o mais confortável com a música do que nas semanas anteriores. Porém #4 no iTunes? Não acho que seja pra tanto.

    5 – India – Olha, isso das pessoas não conseguirem se conectar com ela é muito real, porque é exatamente o que eu sinto. Acho tudo tão ensaiado, os vocais não me passam nada e essa escolha de música é ultrapassada demais, o que faz mais dificil ainda a identificação do publico com ela.
    Dou o quinto lugar pra ela porque ela conseguiu superar os outros três e porque a performance foi melhor delas nos lives até agora. Mas se fosse pro B3 (que de fato aconteceu) não acharia injusto.

    4 – Koryn – O que me fez achar as performances do top 8 abaixo do esperado é que mais da metade (na minha opinião, óbvio) tiveram apresentações mornas. Um exemplo é Koryn, nesse ponto discordo que o inicio foi melhor que o fim da performance, penso o contrário. Não curti a mudança no instrumental, porém os ultimos 30 segundos me fizeram achar a performance até atraente. E a song choice foi ótima pra ela, talvez não tão bem aproveitada.

    3 – Meghan – O que ela faz vocalmente já faz com que a performance já seja 80% ótima, porém ainda acho que falta um pouco de carisma nela pra poder cativar mais o público pra que pelo menos chegue até a final, o que seria muito merecido.

    2 – Sawyer – Foi muito bem, acho que ele é superestimado realmente, mas fez um bom trabalho aqui. Não tenho muito o que dizer, todos já sabemos que a vaga dele na final é praticamente certa.

    1 – Kimberly – Acredito que ela não vença a temporada, mas é a vencedora moral da season 8! Ela é artista, não precisaria nem de treinamento, tá pronta. Performance impecável, não gosto do uso dessa música em competições mas não achei que caiu mal pra ela ou que ela fez algo que me desagradasse. Linda.

    Sobre os results, já imaginava isso, porém algo a ser destacado e (tomara que seja) visto pro Christina, foi a apresentação de India com Human. A primeira vez desde Stay nas batalhas que vejo algo real numa performance de India. E isso foi em pouquissimo tempo, imagina se fosse uma performance normal? Poderia ter sido um grande momento pra ela. Espero que Xtina veja isso e dê uma música que combine com India e não soe datado. Caso contrário é praticamente certo que não vejamos ela na etapa seguinte.

    Sem me prolongar mais, queria dizer vou sentir falta de Hannah. Ela se descobriu ali e espero que tenha sucesso na vida dela, além de ter sido uma guerreira né, porque pegar death spot toda semana e ainda sim chegar no top 8 não é pra qualquer um.

  • Rodrigo Flavio

    Esse Top 8 veio com tudo mesmo, esqueci completamente do fiasco de Top 8 da temporada passada, e foi surpreendente pra mim de varias maneiras sem duvida eh uma semana a ser lembrada! Dessa vez vou comentar tudo direitinho e quero so ver as respostas e deixo minhas expectativas e ranking pro Top 6:

    8) Hannah Kirby – Fico ate espantado de ver uma performance tao apatica de alguem q costumava ser minha favorita ate um tempo entao! Tah q o povo reclama dela gritar e tudo mais, mas q fizeram falta nessa performance ah se fizeram! E o pior foi ver as criancas meio q sobressairam Hannah no final da performance! E somado a death spot realmente n via chances de Hannah conseguir escapar do B3 dessa vez!

    7) Joshua Davis – Nem mesmo com uma substancial melhora(motivos de: Usher) Joshua consegue tar mais acima no meu ranking! Tah q ele ate apresentou uma conexao com essa musica diferente de Hold Back The River, e ate vocais mais decentes, mas suas performances simplesmente n conseguem me animar e Fields of Gold tbm n foi nada q justificasse um Top 10 no iTunes, so o q eu acrescento eh q foi mais envolvente do q as ultimas performances e ele estava um pouco mais a vontade! Mas quero ver ele largando o violao pra variar e cantando pra valer ou senao vou continuar achando q ele n passa de um cantor de bar qualquer q deu um golpe de sorte!

    6) Meghan Linsey – Meghan como sempre foi otima vocalmente e n deixou a desejar nesse quesito, mas eu senti q ela tava tentando recriar nessa performance todo o sentimento q foi criado em Girl Crush, mas falhou miseravelmente nesse objetivo, pois acho q ela realmente focou mais em exibir notas altas e incriveis do q realmente se conectar a letra da cancao, mas todo o cenario bem organizado bem tentou compensar isso! Queria te-la colocado em uma posicao mais alta, mas acho q pela falta do fator surpresa isso n aconteceu, mas pessoalmente foi uma otima performance pra mim!

    5) Sawyer Fredericks – Confesso q queria muito te-lo colocado atras de Meghan mas acontece q ele realmente inovou um pouquinho nesse Top 8 e acho q isso permitiu ele ficar em quinto nesse ranking! A musica caiu como uma luva, e ele ate q n falhou nos vocais como eu esperei q falhasse, e pela primeira vez n ficou parado no meio do palco e interagiu com a plateia mas msm assim n foi quase nada e Sawyer simplesmente n faz uma performance sem violao igual Joshua o q me irrita bastante! Mas foi acho q sua melhor performance live ate agora, o q ainda n chegou a ser grande coisa pra mim, mas eh esperar pra ver se ele surpreende no Top 6, ja q ele e praticamente o vencedor pre-anunciado do programa o q realmente me decepciona! PS: Decepcionado com Gwen por n ter feito Sawyer cortar o cabelo enorme! Queria muito ver ele cantando A Sky Full Of Stars do Coldplay e mostrando q pode ser atual e comercial!

    4) Corey Kent White – Eh, Corey por essa eu n esperava! Sua melhor performance nos lives tbm! Se Blake tinha um plano, o executou bem, mas podia ter sido melhor claro! O inicio comecou mto baixinho, mal deu pra ouvir a voz grave de Corey, o q deixou a performance bem chatinha de inicio, mas ai pela metade ele comecou a soltar a voz e me surpreendeu pra valer, e mostrou que n chegou ate aqui a toa, e ainda mantendo a conexao com a musica e fazendo uma performance realmente crivel e envolvente diferente das suas 2 ultimas performances! O Corey q eu costumava torcer tava voltando aos poucos!

    3) India Carney – E a India destruidora q eu conheco tbm ta voltando e com a sua musica predileta melhor ainda! Ainda n chegou a superar as suas performances pre-Lives mas acredito q foi a sua melhor dos Lives desde Hurt! Ela se mostrou mais entregue a letra da musica e brilhou naquele palco, mas sinto q podia ter feito ainda melhor, e ainda teve um problema presente, ela ainda buscou muito impressionar do q comover e isso q atrapalhou a performance ao maximo, sem contar q Over The Rainbow ja eh bem batida e previsivel entao n existe muita perspectiva pra uma performance com essa musica! Mas fora isso, India foi extremamente bem e realmente me decepciona q os americanos a subestimem tanto e supervalorizam alguem como Sawyer!

    2) Koryn Hawthorne – Eh impressao minha, ou o Knockout Kimberly x Koryn voltou a acontecer de vez? Pq logo depois do seu breakout moment, Koryn continua a impressionar e faz uma versao destruidora de Girl On Fire q por sua vez tbm ja eh bem batida! Essa menina tem muito conhecimento artistico de si mesma, sabe o q quer e o q pretende fazer e isso eh essencial pra q ela se de bem na carreira pos-The Voice! E o q dizer mais uma vez dos seus vocais avassaladores?! Adorei o inicio com mais uso do seu registro grave e os arranjos mais lentos pra permitir q o publico se envolvesse naquele clima que ela estava criando no palco pra poder logo explodir no refrao final! Eh fascinante como ela consegue tocar o publico com cada frase que canta, eh quase impossivel de n prestar atencao! So criticaria uma desafinada bem dificil de n notar em ‘looks like a girl’ mas isso chega a ser detalhe! Koryn realmente esta ”in it to WIN IT!’ #TeamJesus

    1) Kimberly Nichole – E a cada semana, Kimberly sempre quer nos lembrar de que eh uma das melhores coisas que ja aconteceram nesse The Voice em 8 temporadas!!! Mais uma performance AVASSALADORA!!! Creep eh uma musica bem dificil de se cantar e impressionar, mas Kim fez isso com uma facilidade tremenda! Acho q eh a sua performance mais emocional e vulneravel desde What’s Up e senti ela muito conectada a letra da musica(detalhe nem tao importante: eh a musica favorita do namorado dela) e ela dramatizou lindamente naquele palco(aquele final deitada foi simplesmente divesco)! Agora alguem me explica o que foi aquele melisma incrivel no primeiro ‘runs’??? DESTRUIDOR APENAS! Se essa mulher n ta na final junto com India e/ou Koryn eu n sei de mais nada!!! Mais uma performance pra entrar no hall das melhores da temporada!!!

    Agora quanto as Instant Save Performances:

    3) Corey Kent White – Eh uma pena, pois Corey foi ate bem na noite anterior e sair agora pra mim n acho q seria tao merecido! Mas essa performance n ajudou na minha conviccao disso n! Aquela ultima nota n foi legal, nada legal!

    2) Hannah Kirby – Tive um pequeno vislumbre daquela Hannah q me cativou em I Feel The Earth Move nessa performance de Radioactive! Foi bem executada, mas n foi exatamente um grande momento q me fizesse pensar q ela realmente merecesse continuar e mais uma vez a producao louca pra elimina-la colocando a pobre coitada no death spot ate aqui! Sinto muito Hannah mas foi bom enquanto durou!

    1) India Carney – EH ASSIM Q SE BATALHA PRA CONTINUAR NA COMPETICAO!!! India se jogou nessa performance como se fosse a sua ultima vez! E a letra entao, era realmente como um pedido de segunda chance para a America e ela cantou isso pro publico!!! N chegou a superar Tess Boyer mas diria q chegou muito perto!!! India brilhou nesse palco e lutou com toda garra por esse save e eh claro q eu iria fazer acontecer!!!

    E eu quase tive um infarto ao ver Corey na frente, e quando vi q India passou por DOIS VOTOS entao??? Quase grito de tanta alegria!!! Realmente merecido!!! Acharia inadmissivel India eliminada antes do Top 5 q dira do 6! Agora vou poder ouvi-la em dose dupla tbm!!! Fica aki o meu ranking de preferencia pra esse Top 6 e ate a proxima semana amigo:

    1- Kimberly Nichole
    1- India Carney
    1- Koryn Hawthorne(todas as rainhas negras no topo sim pq sim!)
    4- Meghan Linsey
    5- Sawyer Fredericks
    6- Joshua Davis

    PS: Saudades Amanda Brown duetando com Ne-Yo e estando a um patamar acima dos outros!!!

  • Éderson Silva

    Olá, Pedro. Mais uma review bacana para a gente ler e discutir muito sobre o reality show musical The Voice. Desde já, demonstro minha indignação com a NBC, por fazer uma caçada interminável e injusta à Hannah Kirby, uma participante que estava em busca de um sonho: conseguir um contrato com uma grande gravadora. Então, para que fazer tamanha injustiça pondo ela sempre no Death Spot(Top 12 e Top 8) já que no Top 10 ela se apresentou em terceiro. O time Adam, geralmente é protegido e raramente figura entre as primeiras apresentações, além de ser o recordista no Instant Save, ficando sempre com o sonhado Pimp Spot.

    Ranking:

    1- Hannah Kirby- Foi a melhor apresentação? Não. Eu estou com a síndrome da NBC, então Hannah Kirby só pode estar no primeiro lugar. Eu a coloco aqui em forma de homenagem a rainha dark: Hannah Kirby. Uma participante diferente que acrescentava muito ao programa, esforçada, trazia a vibe mais “cool” ao programa. Houve erros de percurso tremendos que Blake Shelton deixou a desejar por nunca dar uma grande balada pra Hannah cantar. Haviam críticas dos excessos de gritos por parte do público, então, porque não explorar um lado mais emocional dela.

    2- Kimberly Nichole- Muito diva, que performance, ela é uma artista que aparece cada vez mais madura, sólida e consistente a cada semana. Mas, faço uma ressalva para Christina Aguilera escolher melhores songchoices, pois está um pouco complicado. Xtina tem uma ótima cantora, mas corre o risco de perdê-la se não escolher músicas mais adequadas ao perfil artístico de Kim. Sonho em vê-la cantando “Love Of All My Life” Queen ou esta.

    3- India Carney- A música é velhíssima e datadíssima, mas mesmo, assim a magia que India Carney empregou na apresentação faz nos esquecer de tudo e entregar uma performance mágica, como há muito tempo, ela não encontrava nada para dar um toque pessoal. E, quando India Carney consegue algo para chamar de seu: a apresentação é deslumbrante, repleta de luz e magia. “Over The Rainbow” tem muitas versões em realities shows, mas quando um participante tem dentro de si um sentimento pulsando dentro de seu coração deixa levar-se e se entrega completamente.

    4- Sawyer Fredericks- Volta bem melhor que na semana passada e consegue trazer algo que justifique o favoritismo. Ele soube como transmitir a mensagem e se conectar com a música com uma entrega, que eu não sentia desde sua audição. Free Byrd é uma ótima escolha musical e mostra como Pharrell está disposto a corrigir os erros do passado.

    5-Joshua Davis- O cantor se torna o segundo participante a quebrar a maldição do Bottom Three. De volta à sua zona de conforto a explorou de maneira ímpar, emocionalmente tocante com uma entrega minuciosa em cada detalhe. Joshua Davis trouxe uma sentimento apaziguador de ternura e encanto, que me sentir a performance de uma forma verdadeira e envolvente.

    6- Meghan Linsey- A voz potente de Meghan Linsey se adequou ao clássico dos Beatles, mas um excesso de notas altas que tornaram a música excessivamente gritada. Este detalhe contribuiu para que a performance fosse desmotivadora para a grande parte do público. Blake Shelton precisa trabalhar melhor o registro vocal baixo dela e, assim conseguir atrair o público votante. Contudo, foi uma ótima performance, de uma artista que precisava alinhar e equilibrar os vocais, criando um grande momento para poder executar as notas altas e notas extendidas.

    7- Koryn Hawthorne- A garota de apenas 17 anos que emocionou o público com uma interpretação única e incrível de “Make a Rain” voltou com um técnico menos inspirado e com a música “Girl On Fire”. Uma escolha batida e sem o grande apelo necessário. Se era para cantar Alicia Keys por que não cantar “You Don’t Know My Name” ou investir algo gospel para repetir o feito da semana passada “Wholy Holy” ,”You’ll Never Walk Alone” versão Aretha Franklin, “Something In the Wather” Carrie Underwood ou “Bridge Over Troubled Water” Simon & Garfunkel. As mudanças no arranjo deixou Koryn realmente perdida no início, mas soube voltar aos trilhos, contudo com um uso e abuso de excesso de notas altas e notas estendidas fizeram o single muito distante e estranho aos ouvidos do público. Nem o pimp spot foi capaz de ajudar na performance e, consequentemente, nas vendagens do single no Itunes. Gostaria de vê-la cantando estas músicas.

    8.Corey Kent White- Não conseguiu cativar o público country, que clamava pela volta de Cody Wickline à competição. Blake Shelton quis desafiá-lo ao propor uma balada romântica. Corey Kent White fez uma boa apresentação, mas estava longe dos demais competidores do programa. Ele é um talento no seu estágio inicial e precisa de um processo de amadurecimento para que no futuro possa entregar performances mais consistentes.

    • edson pereira

      Parabens voce escreve bem demais, gostei da sua sugestão para a Kimberly.

  • Lu

    Pior TOP 6 de todos os tempos. Não sei como the voice chegou nesse nivel. É só comprar as apresentações dessa semana com a do Matt. Era melhor ser 8 entradas dele cantando do que esse povo do top 8.

    • Carlos Júnior

      SOHOSHAHSOHAOHS piada boa

    • Rodrigo Flavio

      Matt podia ser bom mas Blower’s Daughter chega a superar no maximo 3 performances desse Top 8! Esse Top 6 ta humilhando o elenco da temporada passada! Como o proprio Carlos falou – piada boa!

  • Clay Evans

    Kimberly toda semana tomba todos, nem sei mais o que falar… GO GO GO Kimzinha.

  • Paulo Queiroz

    Sempre dou uma olhada nas previews das músicas que os candidatos vão cantar no itunes, e confesso que quando vi que Kimberly ia cantar Creep achei que não seria uma apresentação no mesmo nível das outras, principalmente porque me veio aquela versão esquecível da Danica na temporada passada com aquele monte de ventiladores. Me enganei totalmente, e Kim mais uma vez destruiu, e ainda veio com um toque maior de conectividade com a música. Essa mulher é simplesmente maravilhosa! Uma pena que o povo americano não sabe votar e artistas como Kim não são valorizados. Também subestimei a Índia quando vi que ela ia cantar Over the Rainbow e ainda bem que fui surpreendido. Me doeu muito aqui ver ela no bottom.
    Meghan continua se entregando a cada semana em suas performances e mostrando que merece ir para final. Era minha primeira opção em termos de torcida, mas Kim vem roubando um pouco esse posto dela. <3

    Joshua e Sawyer foram melhores que semana passada, mais ainda acho eles bem abaixo de Kim, Megham e Índia.
    Corey fez, na minha opinião, a melhor apresentação dele no programa, achei que ele não iria pro bottom.
    Hannah infelizmente não foi tão bem como de costume, acho que Blake poderia ter escolhido algo mais popular (poderia ter sido Radioctive) que ela se sairia melhor. A produção tanto tentou até que conseguiu eliminar ela, fiquei puto que até no instante save ela foi a primeira.
    Quanto a Koryn, achei a pior apresentação da noite, ela gritou demais na segunda parte da música e sinceramente eu não gosto dos gritos dela. Não costumo comparar performances do The Voice BR com as do The Voice US porque vejo o americano anos luz do daqui do Brasil, mas eu prefiro a versão da Rully Anne e da Júlia Tazzi da 2ª temporada. Espero que ela e Joshua estejam no bottom do top 6.
    O meu Ranking da noite foi:
    1. Kim e Índia (empatadas)
    3. Meghan
    4. Joshua
    5. Corey
    6. Hannah
    7. Sawyer
    8. Koryn

  • Jaque

    Revoltada, não tem como continuar assistindo the voice, palhaçada. Hanna e Corey eliminados e o Joshua ainda participando do programa? N tem explicação!