Compartilhar

“Você é tudo menos comum, Meredith”

Confesso em todos esses anos acompanhando Grey’s Anatomy esse fora o episódio que mais tive medo de assistir. Se o anterior já foi indigesto, não sabia se conseguiria me manter emocionalmente e psicologicamente centrada nesse longo episódio onde a contra gosto seria obrigada a dar adeus a um personagem tão importante para o show e de certa forma para mim. Não basta nos forçar a desnecessária morte do Derek, mas além disso nós dar duas horas de longas lembranças. Ver como essa partida mexeu com a vida de cada um dos colegas e amigos do médico e sobretudo com sua família foi mais do que apenas emocionalmente foi a comprovação de que sim a Shonda Rhimes sabe como ninguém escrever uma série, contudo deixa bastante evidente o quando essa sua jogada de mudança de ares foi de certa forma mesquinha e antecipada. Se ela julga que ao partir o coração da Meredith desse jeito lhe dando a obrigatoriedade de reviver seu passado e lutar para se reerguer deu a sua protagonista um crescimento como pessoa é um direito dela como dona do personagem. Entretanto, ser filha de quem é e já ter vivido tudo ao longo desses onzes anos já não foi suficiente para o amadurecimento da Grey? Tirar o felizes para sempre e obriga-la a levantar a cabeça e sobreviver pelo bem dos seus filhos pra mim não justifica de maneira nenhuma toda a dor causada pela partida do seu grande amor. Pode ter sentido para a Shondanás, para alguns fãs, contudo pra mim ainda continuar e continuará sendo um gesto mesquinho de uma pessoa egocêntrica e idiota!

Mas, deixando de lado todo meu ódio por essa “víbora” vamos ao que interessa que é as duas horas desgastante e de certa forma emocionante desse episódio. Como todos nós esperávamos após dar sua benção e liberar o Derek para seu descanso eterno a Meredith finalmente saiu do hospital para comunicar a todos o que havia ocorrido com o marido. A forma como a médica chegou na sala e verbalizou a situação não apenas chocou seus amigos, mas lhe levou a finalmente ter um degaste físico. Como era de se esperar todos ficam bastante abalados, e cabe ao Owen comunicar a Amélia que seu irmão mais velho já não está mais entre eles. Assim, como a Meredith a irmãzinha do Derek tem uma recepção um pouco alarmante, entretanto depois de ter visto todos os homens da sua vida morrer não é nenhuma novidade para a Amélia ter alguém que ama arrancado de si. O funeral foi rápido e sem muito significado. Só achei estranho que nem a ex-esposa e nem a melhor amiga da atual se fizeram presentes (sei que convocar duas atrizes é algo que nunca iam cogitar, mas para toda a situação soa como algo estranho, ou estou errada?). Quer dizer que para a Yang não valeu nem pegar um avião para consolar a sua “persona”? Culpa da escritora da série que nessas horas nem pensa em como a merda que criou afeta negativamente tudo o que antes havia cultivado no show.

Mesmo estando de corpo presente em toda a situação a mente da Meredith ia e retornava as situações da sua vida. As boas vividas com seu grande amor e o martírio da Elis Grey. Ela testemunhou o quanto a perda do grande amou moldou sua mãe e todos os sinais deixado pela megera ao longo da sua vida de repente começavam a fazer sentido. “O carrossel não pode parar” e para tentar dar continuidade a sua vida a Grey faz que nem a Elis e pega seus filhos sumindo de Seattle. Como tentar sobreviver num lugar onde tudo e todos lembram a dor em seu coração? Mas, sumir assim sem dar noticiais deixa todos os amigos, em especial o Alex, bastante preocupados. E o ano vai passando, e todos tentando continuar suas vidas mesmo com o abalo do Derek ainda bastante recente, enquanto cada dia mais a Meredith vai sumindo de cena. Quando finalmente reaparecer eis que minhas suspeitas estavam mais do que certas. Se toda a desgraça já era pouca porque não ficar viúva e com mais um filho para criar? A doutora Grey passa a ser apenas a mãe da Zola e do Bailey enquanto espera o nascimento da sua próxima filha, longe de tudo e de todos. Faz que nem sua mãe na época quer engravidou da Pearson, mas diferente da Elis o bebê que carrega não representa seu maior erro e sim uma parte do seu amado marido. Muito bom a cena em quer a Zola reviver a mesma situação da pequena Meredith. E que bacana que deu a filha o nome da falecida mãe. E o melhor foi o Alex aparecendo para leva-los de volta ao lugar a quer pertencem.

Enquanto todos se preocupavam com o paradeiro da Meredith esqueciam a outra ponta do iceberg. A forma como a Amélia lidou com a situação fazendo piadas com o irmão morto e levando tudo de uma forma divertida escondia a real face do problema, o qual ficou bastante claro quando o Chief a questionou. Para quem sofreu tanto a perda do seu grande amor e do seu filho se permitir sentir novamente aquela dor não era opção. Mas, quando o enfrentamento fez renascer a necessidade de colocar tudo para fora quase que a Amélia coloca tudo em risco ao ter uma recaída nas drogas. Por sua sorte o Owen surgi bem no momento em que mais necessitava, o qual ao presenciar o show que a médica deu no hospital não hesitou em ir atrás dela. Amélia foi muito corajosa em admitir a fraqueza e ainda mais quando finalmente se permitiu sofrer pelo irmão. Que cena fantástica! Está ai mais uma personagem que a Shondanás odeia, porque nunca consegue realmente ser feliz. Até tinha tido seu happy ending em Private, mas ao retornar em GA era necessário mais dramas, muitas vezes desnecessário. Porém, agora que compartilha com a cunhada, e colega de casa, a mesma dor juntas poderão não apenas tentar sobreviver sem o Derek, mas tocar a vida de forma que deixaria o médico feliz.

A morte do Derek fez nascer entre a Miranda e o imbecil do marido uma pequena briga com relação as medidas tomadas caso um deles sofra algo parecido com o médico. Mesmo gostando de mais cenas com a Bailey confesso quer quase dormir em todas as vezes que os dois apareciam. Assim como aconteceu com as cenas do Chief com a babaca da mãe do Jackson. Sério mesmo que vão nos fazer engolir essa idiota na série? Tá ai uma que a morte cairia divinamente, mas não tiram o Derek e deixam essa ai tendo cada dia mais participação. Da mesma forma que ocorre com a tal Jo, cuja participação dessa vez foi até satisfatória já que o caso das queimadas rendeu boas cenas, contudo era outra que podia ter ido no lugar do Mc Dreamy que nem iam reparar no seu sumiço. E ainda tem gente que questiona que a saída de um personagem não é prejudicial ao show. Até pode não ser, contudo o que é irritante de suportar é como nos tiram personagens tão substanciais e nos deixam essas merdas que estão a cada dia se tornando mais centrais quer os verdadeiros protagonistas desse show! Não é apenas a morte do Derek que está me fazendo pensar seriamente em abandonar Grey’s Anatomy e sim ver como a Bailey, a Arizona, o Alex, a Callie e o restante simplesmente desapareceram para dar vez a personagens de merda como a Jo e a Catherine!

Callie e Arizona cada dia mais afastadas. A cena em que a médica deixa de fora a meia da ex-esposa deixou bem claro que um possível retorno é quase impossível (mais uma cagada da Shondanás). E era mesmo necessário trazer novamente aquele policial chato? April lidou com a dor da perda de uma forma drástica. Pobre Jackson (o que é esse homem agora barbudo?) que teve que não apenas se segurar e deixar a esposa seguir seu caminho, mas sobreviver a angustia de ficar sem notícias dela após aquele incidente. Espero que pelo menos com esses dois a megera pegue leve e deixe realmente aproveitarem um pouco mais um momento de felicidade. É duas horas de um episódio bastante mediando, onde o que valeu realmente foi rever a boa época da série, com os flashs do casal MerDer. O adeus para o Derek foi manchado com um episódio longo, onde muita coisa podia ter sido retirada para um bem maior. Nunca é fácil dizer adeus. A temporada chegando ao fim e repensando seriamente se irei ou não continuar acompanhando o show, se irei dar meu adeus definitivo a essa série que amo tanto. A megera não soube nem dar um fim digno a um personagem tão querido. Episódio muito razoável. Segue abaixo a promo do próximo episódio: Time Stops

Review
Nota do episódio
Compartilhar
Bióloga, Mestre e Doutoranda em Botânica. Baiana de Salvador. Viciada em Séries e Filmes.
  • Kika

    Eu odiei o episódio. Achei de um mau gosto absurdo nos fazer vendo o tempo passar como se nada tivesse acontecido.
    A cena do funeral foi simplesmente ridícula (mas eu acho que a mão que segurava a de Mer era a da Yang – e depois eles falaram q a Yang não conversava com a Mer desde o funeral, dando a entender q ela teria ido).
    Shonda tá fraca se não consegue q a Sandra Oh faça uma mera participação num momento tão importante da série, mas sera q ela tentou?
    A ausência de Addison tb foi sentida, e daí me pus a pensar. Será que Shondanás não fez de propósito? Por pura implicância com PD?
    Eu li que ele estava bancando a diva em Grey’s e pra corroborar ninguém da série se despediu dele (o que é estranho). Olha o insta da Ellen. Gente, tá esquisito o negócio.
    Independente disso, continuo achando q Shonda é uma VACA! E que nunca, nunca, JAMAIS, ela poderia ter matado McDreamy. Acabasse com a série, dando um final decente para os personagens.
    E o que foi a April indo pra guerra e não querendo voltar pra casa? Pra que isso?
    E o eterno chief sendo pedido em casamento.
    Sério que vão trocar Arizona sem perna pelo policial sem perna pra fazer par com Callie? Sofia não se importa, né?
    E as cenas da Bailey com o marido? Ah, Bailey AMA TANTO o marido que não suportaria se ele morresse.
    Mer não amava Derek do mesmo jeito, né Shonda? Ela pode perder o marido e ter mais uma filha e tudo bem. Ela aguenta.
    Não sei é se a série aguenta.

  • Kelly

    O episódio foi arrastado e chato, mas o Derek teve uma boa despedida sim. Foram 3 episódios sobre a despedida dele. Quem não teve despedida foi Lexie, que morreu de uma forma idiota nos primeiros 15 minutos do episódio e nem teve tando drama quanto à morte dela.
    Não me incomodei muito com a Catherine, mas me incomodei bastante com Bailey. Não tô aguentando mais essa destruição da personagem, acho melhor morrer também. Ou ir embora, sei lá. Qualquer coisa é melhor do que isso.

  • Fabio

    Episódio bem fraquinho. Não vi nenhuma conexão neste episódio, parecia que eu estava assistindo um episódio aleatório de alguma serie.

    Pensei que iam dar mais ênfase ao enterro. Mas nada, foi uma passada de câmera e pronto.

    Muitas coisas desnecessárias neste episódio, como as cenas da April fora do País e
    sinceramente pensei que ia dar algum rolo com ela, já que a Shonda está matando bons personagens sem limites, o que seria mais um, não é?

    Sobre a mãe do Jackson, pode esperar que ela vai estar frequente na série. A Jo, Edwards e Pierce, imprestáveis como sempre. Péssimas atuações.

    As cenas da Bailey foram lamentáveis, além de chatas. O ator que interpreta o marido dela é muito bom, mais o personagem nem tanto. Preferia ele quando ele era anestesista e aparecia pouco.

    No mais foram 1 hora e meia com poucas coisas interessantes. Muita chatice e pouco desenvolvimento. Quero só ver os índices de audiência daqui para frente.

    Por fim, ótima review Nessa Matos.

  • 20 copinhos

    Caso você não tenha visto, a Cristina está de mãos dadas com a Mer no funeral, olhe de novo